China pede que Estados Unidos abandonem o hábito de hegemonismo

Chanceler chinês disse que o país jamais aceitará acusações infundadas

O ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, afirmou na última semana que nunca aceitou e jamais aceitará as acusações infundadas dos Estados Unidos. Ele convidou o país norte-americano a abandonar o hábito de hegemonismo e desistir completamente de seu comportamento arrogante de interferir nos assuntos internos da China.

No diálogo estratégico com os Estados Unidos, em Anchorage, Wang chamou a cidade de “posto de gasolina” para os intercâmbios China-EUA e uma “inserção” para os dois países se encontrarem no meio do caminho. O município de Anchorage fica no meio da rota aérea entre as capitais das duas nações.

Nos últimos anos, devido à supressão irracional dos direitos e interesses legítimos da China, as relações bilaterais enfrentaram dificuldades sem precedentes, disse Wang, acrescentando que a situação prejudicou os interesses dos dois povos, bem como a estabilidade e o desenvolvimento do mundo. Isso deve acabar.

O ministro comentou que a escalada de sanções do país norte-americano sobre questões relacionadas a Hong Kong na última semana foi uma grosseira interferência nos assuntos internos da China, que tem despertado indignação entre o povo chinês.

Segundo Wang, não é uma boa maneira de receber os convidados o fato de que os Estados Unidos tenham imposto sanções na véspera da partida chinesa para o diálogo. E acrescentou que, se os americanos querem aumentar a vantagem sobre a China através desta ação, eles calcularam mal, pois expõe a fraqueza interna e a impotência do país. Isso não afetará a posição chinesa, nem abalará a vontade do povo de salvaguardar a soberania e a dignidade da nação.

Wang observou que, uma vez que os Estados Unidos disse que alguns países acreditam que a China os coagia, é necessário esclarecer se tal afirmação vem deles ou da própria suposição estadunidense.

Se os Estados Unidos são parciais com alguns países porque são seus aliados, ou porque tomam partido de suas palavras e ações equivocadas, será difícil ter um desenvolvimento suave das relações internacionais, disse Wang.

Enfatizando que a conversa telefônica entre os presidentes Xi Jinping e Joe Biden na véspera do ano novo lunar foi muito importante, o chanceler ressaltou que o consenso alcançado pelos dois chefes de Estado orientou a direção para que as relações bilaterais voltem ao caminho certo.

Além disso, a comunidade internacional está prestando muita atenção no diálogo em curso sobre se a China e os Estados Unidos podem realmente demonstrar sinceridade e boa vontade e se os dois lados podem enviar sinais positivos para o mundo inteiro.

Se o lado estadunidense estiver disposto, a China pode trabalhar com os Estados Unidos para trocar opiniões com base no respeito mútuo, assumir suas responsabilidades e cumprir as tarefas confiadas, acrescentou Wang.

Yang Jiechi, do Partido Comunista da China (PCCh), e Wang estão participando do diálogo estratégico de alto nível de dois dias com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o conselheiro de Segurança Nacional estadunidense, Jake Sullivan.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.