China nunca esquecerá bombardeio da embaixada chinesa pela OTAN, diz porta-voz

Local em Belgrado foi atacado em 1999, matando três jornalistas e ferindo mais de 20 diplomatas

Créditos: Embaixada da República Popular da China nos Estados Unidos/Reprodução/Xinhua

O povo chinês nunca esquecerá as atrocidades da OTAN ao bombardear a embaixada chinesa em Belgrado em 1999 e nunca permitirá que a tragédia histórica se repita, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian.

Zhao fez as observações em uma coletiva de imprensa diária, lembrando que em 7 de maio de 1999, a OTAN, liderada pelos EUA, bombardeou a embaixada chinesa em Belgrado, matando três jornalistas e ferindo mais de 20 diplomatas chineses.

“A OTAN afirma ser uma organização defensiva, mas na verdade violou repetidamente a lei internacional e travou guerras desenfreadamente contra países soberanos, minando a paz mundial e regional e matando e deslocando um grande número de civis inocentes”, disse o porta-voz.

A OTAN busca “segurança absoluta” e se envolveu em cinco ondas consecutivas de expansão para o leste após a Guerra Fria, que não tornou a Europa mais segura, mas semeou o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, reacendendo a guerra no continente europeu, disse ele.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.