China monitora aumento do número de macacos dourados de Yunnan

Esse monitoramento está sendo feito por meio da coleta de amostras fecais desses animais e a pesquisa busca entender as suas condições de vida e riscos de extinção

Pesquisadores chineses estão extraindo e monitorando o DNA dos macacos preto de nariz arrebitado, também conhecidos como “macaco dourado de Yunnan”, a partir de mais de 3 mil amostras fecais, com o objetivo de monitorar as condições de vida dessa espécie, de acordo com a Reserva de Natureza Nacional da Montanha de Neve de Baima, na província de Yunnan.

O estudo, que foi iniciado em 2017, tem como foco a diversidade genética, nas relações e estruturas dos grupos de macaco e no intercâmbio de genes, e busca entender as condições de vida e o nível dos riscos de extinção dos macacos dourados de Yunnan.

Os pesquisadores pretendem estimar a quantidade e o tamanho dos grupos de primatas, dividir as unidades de proteção, avaliar as condições de habitat natural e fornecer informações relevantes para buscar soluções de proteção para a espécie, disse Yu Li, pesquisador do Laboratório Chave Estatal para a Conservação e Utilização dos Recursos Biológicos em Yunnan.

Esses macacos vivem nas florestas montanhosas de Yunnan e na região autônoma adjacente do Tibete, e a sua maioria habita a Reserva de Natureza Nacional da Montanha de Neve de Baima. A quantidade de animais desta espécie já superou 3,5 mil a nível nacional.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.