China manterá proibições sobre comércio de produtos de rinocerontes e tigres

A Administração Estatal de Recursos Florestais e Pastagens ressalta os esforços da China em proteger esses animais

A China irá continuar com sua proibição do comércio e uso de rinocerontes, tigres e seus derivados, de acordo com a Administração Estatal de Recursos Florestais e Pastagens (NFGA, na sigla em inglês). Huang Caiyi, porta-voz da NFGA, afirmou que (1) a importação e exportação de rinocerontes, tigres e seus derivados; (2) a venda, compra, transporte, posse e envio dessas espécies raras e seus derivados; e (3) o uso medicinal de chifres de rinoceronte e ossos de tigre estão estritamente proibidos.

Em vigor desde o dia 13 de novembro, e com previsão de término para o dia 31 de dezembro, as campanhas especiais da NFGA atuam contra o comércio ilegal de rinocerontes, tigres, seus subprodutos, e outras ilegalidades relacionadas.

Huang, que é membro da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção, afirmou que o país tem feito muitos esforços para combater o tráfico e o comércio ilegal de animais silvestres. “A China fez esforços universalmente reconhecidos na proteção de rinocerontes e tigres, além de combater as ilegalidades relacionadas a seus produtos”, ressaltou. “Estamos firmes, ativos e consistentes na proteção da vida silvestre”.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.