China lança mercado de carbono para tentar reduzir emissão de poluentes

O sistema deve superar o europeu e se tornar o maior do mundo

A China apresentou seu mercado de carbono, que pode se tornar o maior do mundo, nesta segunda-feira. A medida faz parte dos esforços de alcançar a neutralidade de carbono em 2060.

O sistema deve atingir cerca de 2 mil usinas que emitem mais de 26 mil ton de gases de efeito estufa por ano. As empresas que excederem o limite de emissão podem negociar cotas com aquelas que poluem menos.

A longo prazo, o mercado deve cobrir um terço das emissões de gases carbônicos da China, segundo a Associação Internacional de Ação sobre o Carbono.

O sistema deve ultrapassar o mercado estabelecido em 2005 pela União Europeia e se transformar no maior do mundo.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.