China lança constelação de 72 satélites para Internet das Coisas

Implementado pela companhia privada Commsat, o programa deverá ter uso comercial iniciado já em 2020 e concluir uma distribuição global em 2022

O Instituto de Ótica e Mecânica de Precisão de Xi’an, sob a Academia Chinesa de Ciências, anunciou um programa de constelação, onde planeja lançar 72 pequenos satélites para a Internet das Coisas nos próximos três anos. O programa será implementado pela companhia privada de satélites “Commsat”, que tem sede em Pequim e foi financiada pelo instituto. Oito satélites de comunicação do programa foram enviados ao espaço no ano passado para testes em órbita.

A Commsat planeja iniciar o uso comercial do programa já em 2020, com o lançamento de outros quatro satélites, e concluir uma distribuição global da constelação de 72 satélites de órbita terrestre de baixa altitude até o final de 2022. Esses satélites servirão a diferentes segmentos, como proteção da vida selvagem, resgate emergencial de campo, monitoramento de veículos e navios e rastreamento de logística, segundo uma fonte da Academia Chinesa de Ciências.

Em fevereiro de 2018, a empresa lançou o Young Pioneer 1, um satélite educativo que fornece aos alunos das escolas primárias e secundárias experiências como comunicação sem fio e fotografia espacial. Já em dezembro último, sete pequenos satélites da “série ladybeetle” fabricados pela empresa foram enviados ao espaço. Desde então eles estão sendo utilizados para testar um sistema de circuito fechado para a Internet das Coisas, que inclui satélites, plataformas de computação em nuvem, estações e terminais de controle terrestre.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.