China insta Estados Unidos a pararem com vendas de armas a Taiwan

Porta-voz dos EUA, Ned Price, teria dito que ação está em conformidade com política de Uma Só China

Zhao Lijian

Créditos: Ministério das Relações Exteriores/Xinhua

A China pediu, na terça-feira, aos Estados Unidos que parem imediatamente com as vendas de armas para Taiwan e implementem fielmente sua declaração de não apoiar a “independência de Taiwan”.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, teria dito que, de acordo com a “Lei de Relações de Taiwan”, os Estados Unidos são obrigados a fornecer artigos e serviços de defesa nacional necessários a Taiwan para ajudar a ilha a manter uma capacidade de autodefesa suficiente, acrescentando que isso está em conformidade com a política de Uma Só China.

Em resposta, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, reiterou a firme oposição da China à nova rodada de plano de venda de armas para Taiwan pelos Estados Unidos. “Apresentamos representações severas ao lado dos EUA.”

Observando que a chamada “Lei de Relações de Taiwan” é uma lei doméstica criada unilateralmente pelos Estados Unidos, Zhao disse que esta viola severamente as leis internacionais universalmente reconhecidas e as normas básicas das relações internacionais. Ele acrescentou que isso contradiz o princípio e as disposições de Uma Só China nos três comunicados conjuntos China-EUA. “A China nunca reconheceu e sempre se opôs a tal lei.”

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.