China impulsiona pesquisa básica em ciência polar

Especialistas na área formularam planos que priorizam seis áreas de pesquisa, entre elas a instabilidade da capa de gelo polar e as características e recursos geológicos

A pesquisa básica em ciência polar deverá ser impulsionada na China, em especial em seis áreas prioritárias de pesquisa, pelo que informou um funcionário da Administração Estatal dos Assuntos Marítimos (AEAM) da China. Durante o Simpósio da China sobre Ciência Polar 2019, Qin Weijia, diretor da Administração Chinesa do Ártico e Antártica, afiliada à AEAM, disse que o país organizou mais de 100 especialistas para elaborar planos de pesquisa em ciência polar.

Nos planos, seis áreas prioritárias foram identificadas para as pesquisas nos próximos cinco anos, entre elas, a instabilidade da capa de gelo polar e as mudanças no nível do mar; as interações de gelo marinho e os efeitos do clima na atmosfera ártica, as características e recursos geológicos e a interação Sol-Terra com as zonas polares.

Qin disse que a China irá fortalecer a sua capacidade de inovação, unir força e sabedoria, e impulsionar os intercâmbios e a cooperação internacionais em pesquisa polar. O evento, organizado em conjunto pelo Instituto de Pesquisa Polar da China e Sociedade Chinesa de Oceanografia, acontece anualmente e permite intercâmbios acadêmicos sobre a pesquisa em ciência polar.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.