China emite diretriz para recuperação proteção e recuperação do rio Yang-Tsé

O documento emitido pelo Conselho de Estado pretende restaurar significantemente a biodiversidade do Yang-Tsé até 2035

Uma diretriz para promover a proteção da vida aquática e a recuperação ecológica do rio Yang-tsé foi lançada pelo Gabinete Geral do Conselho de Estado da China. O documento aponta que o rio, que é o mais extenso da China, sofreu prejuízos causados por atividades humanas, como a construção de hidrelétricas, contaminação da água e pesca excessiva, o que comprometeu a biodiversidade a restauração ecológica.

Até o ano de 2020, a pesca será proibida durante todo o ano nas principais partes do rio, mais zonas de conservação serão construídas, e as atuais serão melhor fiscalizadas. Os habitats ao longo do rio deverão ser colocados efetivamente sobre proteção e as espécies aquáticas deverão ser recuperadas nesse mesmo período, assim como a deterioração do ambiente fluvial e da biodiversidade deverá ser bastante reduzida, de acordo com a orientação.

A diretriz ainda diz que o ambiente do Yang-tsé deverá estar consideravelmente recuperado até o ano de 2035, com os habitats das espécies aquáticas completamente protegidos e com populações  substancialmente maiores, sendo que as funções ecológicas das águas deverão ter sido restabelecidas integralmente. O documento enfatiza também que a proteção da vida aquática será incluída no sistema de avaliação de trabalho dos governos locais ao longo do rio.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.