China e Rússia assinam acordo para proteger tigres e leopardos

O projeto de cooperação entre os dois países contém planos de ações, atividades de longo prazo, pesquisas na área, entre outras ações para preservar essas espécies

O Parque Nacional do Tigre e Leopardo, localizado no nordeste da China, assinou um plano de ação cooperativa de três anos com o Parque Nacional da Terra de Leopardo da Rússia, com o objetivo de intensificar a parceria para a proteção do tigre siberiano e do leopardo-de-Amur.  

O acordo inclui 14 planos de ação e nove atividades de longo prazo, contendo pesquisas especiais em atividades transfronteiriças de tigres e leopardos, além de compartilhamento de dados e intercâmbios de experimento de proteção ecológica das reservas naturais, pelo que disse o departamento de gestão do parque nacional, localizado na província de Jilin.

Os dois lados também se concentrarão na melhora da qualidade do ambiente ecológico nas áreas fronteiriças, estabelecimento de uma sólida fundação para o equilíbrio e o desenvolvimento sustentável ecológico regional. Zhao Li, diretor do departamento de gestão, afirmou esperar uma melhora no nível de gestão e eficiência de trabalho do parque com essa cooperação.

Os tigres siberianos, também conhecidos como tigres Amur ou Manchurian, em sua maioria vivem no leste da Rússia, nordeste da China e parte do norte da Península Coreana. Por sua vez, os leopardos-de-Amur, também conhecido como Leopardo Do Extremo Oriente, são um dos felinos em maior risco de extinção no mundo e listado como extremamente em risco de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza.

A China tem feito esforços para proteger a vida selvagem incluindo leopardos-de-amur e tigres siberianos. Atualmente, pelo menos 27 tigres siberianos selvagens e 42 leopardos-de-amur vivem no país.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.