China e países na Iniciativa Cinturão e Rota reforçarão proteção a relíquias culturais

O projeto visa melhorar os padrões de proteção do patrimônio cultural, além de impulsionar a cultura chinesa

A China irá reforçar a cooperação em termos de proteção de relíquias culturais com os países e regiões que participam da Iniciativa Cinturão e Rota, de acordo com uma diretriz publicada pelo escritório geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e o Conselho de Estado.

O documento inclui uma série de medidas que têm como objetivo melhorar significantemente os padrões de proteção do patrimônio cultural da China e continuar impulsionando o papel da cultura chinesa na economia até 2025.

A diretriz assinala que a China trabalhará com outros países para solicitar a inclusão dessas relíquias nas listas mundiais de patrimônio cultural, a realização de estudos arqueológicos, a construção de instalações de antiguidades culturais e para levar mais relíquias culturais de alta qualidade ao estrangeiro para exibi-las, com o intuito de difundir a cultura chinesa.

Um projeto de cinco anos, sobre a proteção e o uso do patrimônio cultural dos tempos revolucionários será lançado até 2022, com o objetivo de preservar e inspirar o espírito revolucionário da China.

Por outro lado, a diretriz pede que os governos locais estabeleçam uma moratória sobre o uso de qualquer terra que possa conter relíquias culturais enterradas. Antes que os levantamentos arqueológicos e as operações de escavação sejam concluídos, as terras envolvidas não devem ser exploradas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.