China e Brasil completam 30 anos de cooperação em ciência e tecnologia espaciais

Os países, que já colaboraram para lançar seis satélites, planejam lançar mais um no segundo semestre de 2019

O Brasil e a China completaram três décadas de cooperação na área da ciência e tecnologias espaciais, sendo um dos maiores e mais bem-sucedidos exemplos de “cooperação Sul-Sul” (cooperação entre os chamados “países em desenvolvimento”) na área de tecnologia de ponta. A celebração do 30° aniversário dessa cooperação aconteceu em Pequim e contou com o presidente da Agência Espacial Brasileira, José Raimundo Braga Coelho.

“A China é o maior país da Ásia e o Brasil é o maior país da América Latina. Os dois grandes países em desenvolvimento devem cooperar em muitas áreas, e atualmente todos sabem a importância do desenvolvimento espacial, por isso, acredito que a cooperação Sul-Sul irá produzir bons resultados”, afirmou Braga Coelho. Ele ainda lembrou que durante esses 30 anos, foram desenvolvidos em conjunto seis satélites de recursos terrestres, que fornecem cerca de 500 mil imagens de sensoriamento remoto grátis.

Os dois países ainda planejam lançar, no segundo semestre de 2019, o satélite CBERS-4A, de acordo com Li Guping, secretário-geral da Administração Espacial Nacional da China. Os satélites CBERS são satélites de sensoriamento remoto da Terra e usados para fins não-militares, como monitoramento ambiental, meteorologia e cartografia. O CBERS-4A já foi montado e está em período de testes, e a China e o Brasil pretendem iniciar o design e as pesquisas finais do CBERS-5 e do CEBERS-6.

“Acredito que a cooperação espacial entre a China e o Brasil não vai durar apenas 30 anos, e espero que dure 100 anos, que dure para sempre”, comentou Braga Coelho.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.