China doa vacinas para Zimbábue e Moçambique

A nação asiática doou as primeiras unidades de imunizante para os países africanos

Os países africanos Zimbábue e Moçambique receberam doses de vacina contra Covid-19 da Sinopharm, doadas pela China, nas últimas semanas. 

Moçambique recebeu suas primeiras 200 mil unidades de imunizante na semana passada. A doação chegou no momento em que a entrega de doses do programa Covax, da Organização Mundial da Saúde, foi adiada até maio.

Na cerimônia de entrega, o primeiro-ministro de Moçambique, Carlos Agostinho do Rosário, elogiou a atuação da China no combate à pandemia e agradeceu a amizade do povo chinês, dizendo que “a rápida disponibilidade de vacinas contra a Covid-19 reflete o empenho e determinação” dos governos chinês e moçambicano na garantia do bem-estar das pessoas.

O país vizinho, Zimbábue, também recebeu as primeiras 200 mil doses da nação asiática. O embaixador Guo Shaochun informou recentemente que a China vai dobrar a doação para 400 mil unidades.

Além disso, o Zimbábue vai negociar 1,2 milhão de doses adicionais de vacina contra Covid-19 da China, segundo o porta-voz do presidente Emmerson Mnangagwa, George Charamba. Atualmente, o país africano tem contrato com a chinesa Sinopharm para receber 600 mil doses, que devem chegar em breve.

“O Zimbábue deve comprar mais 1,2 milhão”, escreveu Charamba no Twitter. Isso elevaria o número total para 1,8 milhão.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.