China divulga livro branco sobre questão de Taiwan e reunificação na nova era

Livro ‘A Questão de Taiwan e a Reunificação da China na Nova Era’ foi publicado nesta quarta-feira

O Departamento dos Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado e o Departamento de Comunicação do Conselho de Estado da República Popular da China publicaram um livro branco intitulado “A Questão de Taiwan e a Reunificação da China na Nova Era” nesta quarta-feira.

O livro branco foi divulgado para reiterar o fato de que Taiwan faz parte da China, para demonstrar a determinação do Partido Comunista da China (PCCh) e do povo chinês e seu compromisso com a reunificação nacional e para enfatizar a posição e as políticas do PCCh e do governo chinês na nova era.

Taiwan pertenceu à China desde os tempos antigos. Tal afirmação tem uma base sólida na história e na jurisprudência, de acordo com o livro branco.

A Resolução 2758 da Assembleia Geral da ONU é um documento político que encapsula o princípio de Uma Só China, cuja autoridade legal não deixa margem para dúvidas e tem sido reconhecida mundialmente, diz o livro branco.

O princípio de Uma Só China representa o consenso universal da comunidade internacional; é consistente com as normas básicas das relações internacionais, diz o livro branco.

“Somos uma China, e Taiwan faz parte da China. Este é um fato indiscutível, apoiado pela história e pela lei. Taiwan nunca foi um estado; seu status como parte da China é inalterável”, diz o livro branco.

O PCCh está comprometido com a missão histórica de resolver a questão de Taiwan e realizar a reunificação completa da China. Sob sua liderança resoluta, pessoas de ambos os lados do Estreito de Taiwan vêm trabalhando juntas para diminuir a tensão através do Estreito. Eles seguiram um caminho de desenvolvimento pacífico e fizeram muitos avanços na melhoria das relações através do Estreito, de acordo com o livro branco.

Sob a orientação do PCCh, houve um grande progresso nas relações através do Estreito nas últimas sete décadas, especialmente desde que o distanciamento entre os dois lados foi encerrado. O aumento das trocas, a cooperação mais ampla e as interações mais próximas têm trazido benefícios tangíveis para as pessoas através do Estreito, especialmente de Taiwan. Isso demonstra plenamente que a amizade e a cooperação através do Estreito são mutuamente benéficas, diz o livro branco.

“A realização da reunificação nacional completa é impulsionada pela história e pela cultura da nação chinesa e determinada pelo impulso e circunstâncias que cercam nossa revitalização nacional. Nunca antes estivemos tão perto, confiantes e capazes de alcançar o objetivo de revitalização nacional. O mesmo acontece quando se trata de nosso objetivo de reunificação nacional completa”, diz o livro branco.

O desenvolvimento e o progresso da China — em particular, as grandes conquistas ao longo de quatro décadas de reforma, abertura e modernização — vêm tendo um impacto profundo no processo histórico de resolver a questão de Taiwan e realizar a reunificação nacional completa, de acordo com o livro branco.

As ações das autoridades do Partido Progressista Democrata resultaram em tensão nas relações através do Estreito, colocando em risco a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan, minando as perspectivas e restringindo o espaço para a reunificação pacífica. Esses são obstáculos que devem ser removidos no avanço do processo de reunificação pacífica, diz o livro branco.

Forças externas têm encorajado e instigado ações provocativas das forças separatistas; estes têm intensificado a tensão e o confronto através do Estreito e prejudicado a paz e a estabilidade na região da Ásia-Pacífico. Isso vai contra as tendências globais subjacentes de paz, desenvolvimento e cooperação ganha-ganha, e vai contra os desejos da comunidade internacional e a aspiração de todos os povos, diz o livro branco.

Confiar em forças externas não trará nada para os separatistas de Taiwan, e usar Taiwan para conter a China está fadado ao fracasso. A roda da história continua em direção à reunificação nacional e não será interrompida por nenhum indivíduo ou força, diz o livro branco.

Reunificação pacífica e “um país, dois sistemas” são nossos princípios básicos para resolver a questão de Taiwan e a melhor abordagem para realizar a reunificação nacional. Incorporando a sabedoria chinesa — nós prosperamos ao abraçarmos uns aos outros — eles levam plenamente em conta as realidades de Taiwan e são propícios à estabilidade de longo prazo em Taiwan após a reunificação, de acordo com o livro branco.

“Para realizar a reunificação pacífica, devemos reconhecer que a parte continental e Taiwan têm seus próprios sistemas sociais e ideologias distintas. O princípio ‘um país, dois sistemas’ é a solução mais inclusiva para este problema. É uma abordagem que se baseia em princípios democráticos, demonstra boa vontade, busca uma solução pacífica para a questão de Taiwan e oferece benefícios mútuos. As diferenças no sistema social não são um obstáculo à reunificação nem uma justificativa para o secessionismo”, diz o livro branco.

“Estamos prontos para criar um vasto espaço para a reunificação pacífica, mas não deixaremos espaço para atividades separatistas de qualquer natureza”, diz.

“Trabalharemos com a maior sinceridade e exerceremos nossos melhores esforços para alcançar a reunificação pacífica. Mas não renunciaremos ao uso da força e nos reservamos a opção de tomar todas as medidas necessárias. Isso é para evitar interferências externas e todas as atividades separatistas. De forma alguma tem como alvo nossos compatriotas chineses em Taiwan. O uso da força seria o último recurso tomado em circunstâncias imperiosas”, acrescenta.

O futuro de Taiwan está na reunificação da China, e o bem-estar do povo de Taiwan depende da revitalização da nação chinesa. “Vamos dar as mãos aos nossos colegas chineses em Taiwan para lutar pela reunificação e revitalização nacional”, diz o livro branco.

Uma vez que a reunificação pacífica seja alcançada sob “um país, dois sistemas”, esta lançará novos fundamentos para que a China faça mais progressos e alcance a revitalização nacional. Ao mesmo tempo, criará enormes oportunidades para o desenvolvimento social e econômico em Taiwan e trará benefícios tangíveis para o povo de Taiwan, diz o documento.

A reunificação pacífica através do Estreito é benéfica não apenas para a nação chinesa, mas para todos os povos e para a comunidade internacional como um todo, diz o livro branco.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.