China desenvolve app de reconhecimento facial para pandas

O aplicativo permitirá que sejam coletados dados mais precisos de nascimento, morte, idade e distribuição dos pandas gigantes que vivem em estado selvagem

Um aplicativo de reconhecimento facial para pandas gigantes foi desenvolvido em conjunto pelo Centro de Conservação e Pesquisa de Pandas Gigantes da China e por pesquisadores da Universidade Normal de Sichuan e da Universidade Tecnológica de Nanyang de Cingapura. Com base em um banco de dados, ele permite que as pessoas diferenciem um panda de outro com mais facilidade.

A pesquisa de análise de imagens começou em 2017, e atualmente o banco de dados do app contém 120 mil imagens e 10 mil videoclipes de pandas gigantes. Cerca de dez mil fotos de pandas foram analisadas, marcadas e anotadas. Os pesquisadores esperam que algoritmos e a tecnologia de inteligência artificial ajudem a analisar dados tanto dos animais em cativeiro quanto dos na natureza.

“O aplicativo e o banco de dados nos ajudarão a coletar dados mais precisos e completos sobre a população, distribuição, idade, proporção de gênero, nascimento e morte de pandas selvagens, que vivem em montanhas profundas e são difíceis de rastrear”, disse Chen Peng, pesquisador da base e coautor de um artigo sobre reconhecimento facial de pandas gigantes usando pequeno banco de dados. “O aplicativo definitivamente nos ajudará a melhorar a eficiência e a eficácia na conservação e no manejo dos animais”.

O panda gigante foi cientificamente descoberto há 150 anos e nomeado na cidade de Ya’an, em Sichuan. Ele continua sendo uma das espécies mais ameaçadas do mundo. Até novembro do ano passado, havia 548 pandas criados em cativeiro no planeta e menos de 2 mil deles vivendo no estado selvagem, sendo que os que vivem nesse estado se encontram principalmente nas províncias de Sichuan e Shaanxi.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.