China cumpre meta no controle de poluição em 2018

Além disso, o país já traçou suas estratégias para o combate à poluição em 2019

A China conseguiu cumprir a sua meta de controle de poluição no ano de 2018, de acordo com Li Ganjie, ministro

chinês do Meio Ambiente e Ecologia. “Nós cumprimos com sucesso todas as metas obrigatórias estabelecidas para 2018 e seguimos o cronograma decidido pelo 13° Plano Quinquenal”, afirmou.

A qualidade do ar continuou no seu caminho de melhora, sendo que 338 das principais cidades do país relataram uma boa qualidade do ar em 79,3% dos dias do ano, o que, de acordo com os dados oficiais, representa um crescimento de 1,3% em relação ao ano anterior. A densidade de PM2,5, que é um indicador-chave da poluição, caiu em mais de 10% em três áreas altamente poluídas, incluindo a região de Pequim-Tianjin-Hebei.

Em relação aos solos, Li afirmou que o país vem conseguindo reduzir as importações de resíduos sólidos em 46,5% ano a ano, além de ter concluído as revisões de todas as usinas de lixo e lançado uma campanha contra o transporte e disposição ilegais de resíduos perigosos em 2018. Uma ação completa também foi tomada para limpar 1.009 recursos hídricos malcheirosos em 36 grandes cidades, segundo o ministro, que ressaltou que a defesa das águas limpas será uma tarefa principal para 2019.

Durante a Conferência do Trabalho Econômico Central que foi realizada em dezembro, as autoridades pediram que o país faça mais esforços em 2019, se baseando nas vitórias alcançadas em 2018. De acordo com os analistas, um dos maiores desafios é o de encontrar formas de se engajar no tratamento da poluição sem prejudicar a produtividade.

Zhang Liqun, pesquisador do Centro de Pesquisa de Desenvolvimento do Conselho de Estado, afirmou que a conferência oferece prescrições direcionadas, deixando claro que os governos locais devem evitar as práticas simples e inescrupulosas do passado quando lidam com problemas ambientais. “Isso dará melhor apoio ao equilíbrio entre a proteção ambiental e o desenvolvimento econômico, além de promover uma interação de reforço mútuo”, disse.

Li afirmou ainda que em 2019 a China pretende colocar em funcionamento o projeto de restauração do Yang-Tsé, limpar mais recursos hídricos malcheirosos, alcançar melhorias ambientais no Mar de Bohai através de ações abrangentes, e lançar uma campanha de qualidade de água em áreas rurais. O país ainda vai reduzir ainda mais as importações de resíduos sólidos e se esforçar para conseguir uma melhor qualidade do ar.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.