China cria plataformas de cooperação internacional em neurociência

O projeto foi feito em parceria com a Alemanha e o Canadá e o local escolhido para construir as plataformas foi a cidade de Shenzhen

Cientistas chineses, em parceria com a Alemanha e o Canadá, construíram duas plataformas de cooperação internacional em neurociência na cidade de Shenzhen, no sul da China, de acordo com informações divulgadas pelo Instituto de Tecnologia Avançada de Shenzhen (SIAT, em inglês), subordinado à Academia Chinesa de Ciências. O objetivo das plataformas é atrair mais talentos de alto nível em inovação em neurociência para a Grande Área da Baía de Guangdong-Hong Kong-Macau.

Uma das plataformas é um laboratório conjunto que pesquisa os princípios e mecanismos da plasticidade neuronal para o desenvolvimento da indústria biofarmacêutica e de saúde. O laboratório é dirigido por Erwin Neher, um físico alemão que ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1991. “Essas plataformas de cooperação internacional fornecem aos pesquisadores jovens um ambiente mais livre e aliviado, o que promove mais êxitos científicos originais”, explicou Neher.

Atualmente o laboratório tem uma equipe com 30 pesquisadores em tempo integral, número que deve aumentar para 50 até o final do ano, de acordo com Zhu Yingjie, um dos cientistas que trabalham no local.

A outra plataforma, por sua vez, foi estabelecida conjuntamente pelo SIAT e a Universidade de British Columbia no Canadá e se dedica à pesquisa de vanguarda e avanços tecnológicos na ciência cerebral, especialmente em relação com transtornos neurológicos e mentais. “Nosso objetivo é acrescentar recursos e talento de inovação globais, e trocar ideias inovadoras em ciência cerebral”, manifestou Yang Jianhua, funcionário do SIAT.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.