China cria plano para melhorar o monitoramento ambiental

O Ministério da Ecologia e Meio Ambiente irá reforçar a supervisão de agências de monitoramento de diferentes níveis governamentais

O Ministério da Ecologia e Meio Ambiente irá implementar um plano de ação para combater as violações ambientais como manipulação e interferência em dados de monitoramento. Com duração de três anos, contando a partir de 2018, o plano contará com um reforço na supervisão e controles sobre os dados gerados pelas agências de monitoramento de níveis provincial, municipal e distrital.

De acordo com a pasta, haverá um acompanhamento de perto dos contaminadores em regiões importantes como Pequim-Tianjin-Hebei e o Delta do Rio Yangtzé, assim como de setores como o da fabricação de papel. Apesar da China ter feito um progresso no monitoramento ecológico e ambiental nos últimos anos, ainda existem problemas grandes e urgentes, como a falsificação repetida de dados por poluidores e a interferência constante das autoridades locais.

Com esse plano de ação, os funcionários locais que forem responsáveis por interferir no monitoramento ambiental irão receber punição disciplinar de acordo com a lei e as regras relacionadas, e as pessoas que forem confirmadas como responsáveis por delitos de adulterar ou fabricar dados de monitoramento serão processadas criminalmente por órgãos judiciais.

No início de agosto, o ministério investigou altos funcionários do governo da cidade de Linfen, que é rica em carvão, sobre as medidas relaxadas de proteção ambiental e a piora na qualidade do ar do local. O órgão constatou que a cidade fabricou os dados de monitoramento entre os meses de abril de 2017 e março de 2018, interferindo quase 100 vezes em seis estações de monitoramento. Foram condenadas e sentenciadas à prisão 16 pessoas que estavam envolvidas de diferentes maneiras nessa adulteração.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.