China controla expansão de áreas desertificadas na Mongólia Interior

Medidas do governo local e introdução de novas tecnologias expandiram as regiões arborizadas

Como uma das regiões que mais sofrem com a desertificação, a Mongólia Interior
concentrou esforços na restauração ecológica e no manejo de terras arenosas do deserto
mais recentemente e teve resultados notáveis.

Nos últimos cinco anos, o espaço de terras desertificadas e arenosas continuou a diminuir,
com uma área média anual de prevenção e controle de areias de 800 mil hectares,
representando 40% do território de controle nacional.

Os engenheiros do Instituto de Pesquisa Yili do Deserto de Kubuqi usam a plataforma de
Big Data do Deserto de Yili para planejar o plantio de terras e mudas da “floresta de
sequestro de carbono para controle de areia e proteção do rio em Kubuqi”.

“De acordo com os padrões técnicos fornecidos pela plataforma, adquirimos mudas locais
adequadas, como salix, caragana, pinus sylvestris, e organizamos o plantio experimental
para garantir que a taxa de sobrevivência de mudas está estável acima de 85%”, disse Lv
Rong, engenheiro-chefe do instituto.

Além de plantas nativas, também introduziram espécies tolerantes à seca de outras regiões
na mesma latitude em Kubuqi. O objetivo é enriquecer a diversidade de plantas que
controlam a dispersão de areia.

Lv Rong afirmou que recursos de germoplasma de alta qualidade são a base do controle de
areia. “Por esse motivo, construímos um banco de recursos de germoplasma especial para
arbustos do deserto e plantas raras e ameaçadas de extinção. Atualmente, recolhemos
materiais relacionados a mais de 1.000 tipos de sementes de plantas que são resistentes ao
frio, à seca e à salinização.”

Segundo o pesquisador, a inovação da tecnologia de plantio também melhorou a eficiência
do controle das areias. Cavar grandes fossos para plantar árvores pode destruir facilmente a ecologia do solo do deserto. Por isso, os especialistas criaram técnicas para plantar
árvores de forma “não invasiva”.

“Uma árvore pode ser plantada em dez segundos, economizando mais de 50% de água”,
disse Lv. E acrescentou que este é o método de plantio mais ecológico, reduzindo a
perturbação do solo e aumentando a taxa de sobrevivência das mudas para mais de 90%.

Desde a década de 1980, a cobertura vegetal do deserto Kubuqi aumentou de menos de
3% para 53%. A precipitação e as espécies biológicas aumentaram e o clima de areia e
poeira diminuiu significativamente. A nova forma de plantio também foi promovida para
outras terras arenosas e desertos.

Com o controle de desertificação e das terras arenosas, a vida dos fazendeiros e pastores
melhorou, tirando famílias da pobreza. Nos últimos anos, as autoridades locais proibiram o
pastoreio e implementaram projetos de restauração ecológica e criaram florestas com
retorno econômico.

Bhejarlin Bheyel, um dos beneficiários do programa, disse que “os espinheiros marítimos
podem ser transformados em sucos e também atrair turistas.” Agora ele ganha mais de 10
mil yuans como guarda florestal a cada ano e a renda anual da família chega a 50 mil
yuans.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.