China continua trabalhando para cumprir meta de erradicação da pobreza

Moradores da região autônoma de Liangshan Yi, uma das mais pobres do país, receberam acesso à educação gratuita e foram realocados para apartamentos novos

Em 2016, com a divulgação do 13º Plano Quinquenal, a China prometeu acabar com a pobreza até o ano de 2020. Desde então, mudanças dramáticas têm acontecido na região autônoma de Liangshan Yi, como divulgou uma reportagem do jornal Folha de São Paulo.

Há mais de quatro anos, o acesso à pré-escola e ao ensino secundário se tornaram gratuitos na região. Para o assessor do Banco Mundial, Li Xiaoyun, investir em educação é essencial para prevenir a miséria. “Se não resolvermos esse problema, a pobreza vai ressurgir mesmo que o apoio dado seja contínuo”, afirmou em entrevista à Folha.

Além disso, a maioria das famílias classificadas como extremamente pobres foram realocadas para apartamentos novos que custaram apenas 10 mil yuans cada. A reportagem indica ainda que cerca de 42 bilhões de yuans foram reservados para a construção de estradas e canais em Liangshan em 2019 e 2020.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.