China condena ataques cibernéticos dos EUA à Universidade Politécnica do Noroeste da China

Estados Unidos usaram 41 armas cibernéticas especializadas para lançarem operações de roubo

White House / Casa Branca / US/ USA/ Estados Unidos

Créditos: Xinhua/Liu Jie

A China condena fortemente os ataques cibernéticos lançados pelos Estados Unidos à Universidade Politécnica do Noroeste da China e exigiu que o lados americano forneça uma explicação e pare imediatamente suas ações ilegais, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Mao Ning, nesta segunda-feira.

Foi relatado que o Centro Nacional de Resposta de Emergência a Vírus Computacional (CVERC, em inglês) da China e a empresa de cibersegurança 360 emitiram seus respectivos relatórios de investigação sobre os ataques à Universidade Politécnica do Noroeste pela Agência de Segurança Nacional (NSA, em inglês) dos EUA, mostrando que a TAO, empresa afiliada da NSA, montou centenas de milhares de ataques cibernéticos maliciosos visando alvos chineses.

Mao disse em uma coletiva de imprensa diária que os relatórios de investigação apontaram outro exemplo dos ataques cibernéticos do governo dos EUA à China.

Ela disse que, com base em análises e rastreamento feito pela equipe conjunta do CVERC e 360, os ataques cibernéticos da NSA e o roubo de dados contra a China são comprovados por uma cadeia clara e completa de evidências, que envolve 13 pessoas nos Estados Unidos que lançaram diretamente ataques cibernéticos contra a China e mais de 60 contratos e mais de 170 documentos digitais com operadoras de telecomunicações dos EUA para construir um ambiente para ataques cibernéticos.

Os relatórios mostraram que os Estados Unidos usaram 41 armas cibernéticas especializadas para lançarem operações de roubo cibernético por mais de 1.000 vezes contra a Universidade Politécnica do Noroeste e roubaram dados técnicos importantes.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.