China busca melhorar seu ambiente de negócios para investidores

Veja quais foram as medidas tomadas pelo país nos últimos meses para atrair investidores estrangeiros

Um projeto de lei de investimento estrangeiro foi submetido à sessão anual da 13ª Assembleia Nacional Popular (APN) para revisão, o que mostra os esforços consistentes que a China vem fazendo para otimizar o seu ambiente de negócios e atrair investidores de todo o mundo.

Nos últimos meses, uma série de medidas importantes foram tomadas pelo país com o objetivo de aproximar investidores estrangeiros e garantir entre os participantes nacionais e internacionais uma concorrência justa. Confira quais foram as principais delas:

* 7 de março de 2019 – A Comissão Reguladora de Valores da China permitiu ao Fundo Monetário Internacional acessar seu mercado de capitais mediante o programa Investidores Institucionais Estrangeiros Qualificados em RMB;

* 5 de março de 2019 – A China prometeu em seu relatório de trabalho do governo aliviar controles sobre o acesso ao mercado, encurtar a lista negativa para investimento estrangeiro e permitir que empresas completamente financiadas por fundos estrangeiros operem em mais setores;

* 25 de dezembro de 2018 – A China lançou uma lista negativa mais curta em todo o país de acesso ao mercado, com o número de itens caindo para 151, 177 a menos comparada com a versão anterior;

* 3 de dezembro de 2018 – O órgão regulador de valores da China aprovou o plano da matriz do banco suíço UBS AG de obter uma participação majoritária em sua joint venture de valores na parte continental chinesa, com sua participação na UBS Securities aumentando para 51%;

* 25 de novembro de 2018 – A China aprovou o estabelecimento preparatório da seguradora alemã, Allianz Group. Trata-se da primeira holding de propriedade integral de um segurador estrangeiro;

* 16 de outubro de 2018 – A China publicou um plano para transformar Hainan, uma província insular no sul do país, em uma zona-piloto de livre comércio (ZLC), a 12ª maior entre seus pares;

* 10 de outubro de 2018 – A ZLC de Xangai emitiu a primeira lista negativa do país no campo do comércio de serviços;

* 28 de junho de 2018 – A China revelou uma lista negativa encurtada para investimento estrangeiro, com o número de itens caindo para 48, ante 63 na versão anterior, após um experimento em ZLCs piloto.

Mesmo com a recessão econômica global e com o crescente protecionismo, a China conseguiu registrar no ano passado um recorde de investimento estrangeiro direto (US$ 135 bilhões), o que mostra que as medidas estão tendo resultados.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.