China aumenta importação de bens dos EUA para cumprir acordo

O país tem até o final de 2021 para alcançar a meta

A China está intensificando suas importações dos EUA para cumprir o acordo assinado em janeiro deste ano, quando assumiu o compromisso de importar US$200 bilhões adicionais em bens e serviços até o final de 2021 em relação ao nível de 2017.

Com a queda da atividade econômica causada pela pandemia do coronavírus, as importações perderam intensidade, mas estão sendo retomadas à medida em que o país se recupera. Em setembro, as importações atingiram o recorde de US$9,9 bilhões, principalmente de petróleo, soja e automóveis.

O aumento da importação de petróleo pela China é explicado pela crescente demanda pelo produto e preço mais barato dos Estados Unidos. As importações de soja cresceram mais de 600% e a demanda de algodão também deu um salto, o que aponta para uma possível reposição das reservas chinesas diante dos sinais de recuperação da indústria têxtil.

As importações de manufaturados foram impulsionadas pelos automóveis, o que aponta para um crescimento da confiança do consumidor.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.