China assume presidência de CSNU e quer exercer maior papel na manutenção da paz e segurança internacionais

País pretende realizar diversas sessões sobre países e regiões que são foco de conflitos e fortalecer o multilateralismo e o papel da ONU

A China pretende trabalhar para que o Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) tenha um papel maior na manutenção da paz e da segurança internacionais durante o período que ficará na presidência rotativa, que iniciou no dia 1° de novembro.  De acordo com Lu Kang, porta-voz da chancelaria chinesa, o CSNU realizará, em novembro, diversas sessões sobre a Síria, Líbia, Iraque, Líbano, Oriente Médio, Bósnia-Herzegovina e a situação da região de Sahel.

O país considera fazer, nesse período de presidência rotativa, sessões abertas sobre o fortalecimento do multilateralismo e do papel da ONU, assim como a paz e a segurança na África sob a situação atual, pelo que afirmou Lu. O CSNU é um dos mecanismos de segurança coletiva que foram estabelecidos após a 2ª Guerra Mundial e atua como uma plataforma fundamental para a gestão de segurança global.

“Atualmente, enfrentamos desafios complexos na paz e segurança internacionais”, afirmou Lu em uma coletiva de imprensa. “Como presidente rotativo do CSNU, a China trabalhará por um maior papel do Conselho de Segurança alinhado com as missões e princípios da Carta da ONU, na defesa da objetividade e justiça, cooperação no espírito de unidade, adoção de ações efetivas e passos positivos para garantir a solução política dos principais assuntos regionais e assim desempenhar um importante papel na manutenção da paz e segurança internacionais. ”

O porta-voz ainda afirma que a China irá interagir com mais membros da ONU que não fazem parte do conselho, especialmente os países que estão na agenda do conselho, para exercer sua responsabilidade de forma mais aberta. O país ficará na presidência durante todo o mês de novembro.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.