China anuncia plano para monitorar poluição do ar por sensoriamento remoto de satélite

Rede de satélites cobrirá regiões-chave como Pequim, Tianjin, planícies de Fenhe e Weihe, além do delta do rio Yang-tsé

Um novo plano para monitorar e controlar a poluição do ar em regiões-chave da China via sensoriamento remoto de satélite foi anunciado pelo Ministério da Ecologia e do Meio Ambiente. Para isso, será usada uma rede que será capaz de observar a densidade do poluente PM2,5 e que cobrirá gradualmente Pequim, Tianjin e 26 outras cidades nas províncias vizinhas, além de 11 cidades nas planícies de Fenhe e Weihe e 41 no delta do rio Yang-tsé.

Tecnologias como o sensoriamento remoto serão usadas pelas autoridades na sede de Pequim para descobrir problemas ambientais nas regiões remotas, permitindo com que eles conduzam ações imediatas, segundo Zhao Qunying, funcionário da pasta responsável pela supervisão ambiental. “Isso pode elevar a eficiência de regulação e tratar da falta de fiscais suficientes para as amplas regiões sob escrutínio”, afirmou Zhao.

As regiões que serão cobertas pela rede vão ser divididas em unidades interligadas, sendo que cada uma medirá 9 km². As unidades que apresentarem PM2,5 relativamente alto entrarão numa lista de áreas-chave para vigiar. De acordo com Zhao, Pequim, Tianjin e as cidades vizinhas serão inclusas na rede até outubro, as cidades das planícies de Fenhe e Weihe entrarão em seguida, enquanto as do delta do rio Yang-tsé serão colocadas em fevereiro de 2019.


Fonte: Xinhua

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.