China alivia risco de extinção dos pandas gigantes

Esforços para restaurar o habitat da espécie e melhorar a sua população e diversidade genética estão entre fatores que permitiram tais avanços

A China conseguiu fazer progressos significativos na proteção dos pandas gigantes, conseguindo aliviar os seus riscos de extinção, afirmou o funcionário da Administração Estatal dos Recursos Florestais e dos Pastos, Yang Chao, durante uma entrevista coletiva. Os resultados positivos foram obtidos graças aos constantes esforços para restaurar o habitat da espécie e melhorar a sua população e diversidade genética.

O país atualmente tem 1.864 pandas gigantes na natureza, sendo que há uma década, o número era de 1.114 animais. As reservas naturais em que eles vivem subiram de 15 para 67 e as áreas de seus habitats quase dobraram, chegando a 2,58 milhões de hectares. Yang afirmou que aproximadamente dois terços dos pandas gigantes estão sob proteção efetiva, sendo que a China lançou um plano de construir um parque nacional de 27 mil km² para esses animais.

Yang também garantiu houve uma melhora na biodiversidade, informando que até o final de 2017 havia 518 pandas gigantes que eram criados em cativeiros, sendo que os cientistas desses lugares afirmam que a população de animais desses lugares pode manter 90% da diversidade genética em 200 anos.

Em 2003, foram introduzidos nove pandas gigantes à natureza, sendo que deles, sete conseguiram sobreviver. A China irá realizar entre os dias 23 e 26 de agosto a primeira semana do panda gigante, com o objetivo de promover o símbolo cultural para o mundo.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.