China ajudará no desenvolvimento sustentável do Ártico

Em fórum, representante chinês falou sobre planos do país de realizar expedições científicas conjuntas no Polo Norte e avaliar os impactos das mudanças climáticas

A China irá participar ativamente dos assuntos do Ártico e se esforçará para contribuir com a sua sabedoria e força para o desenvolvimento sustentável da região, segundo afirmou Wang Hong, diretor da Administração Oceânica do Estado. Ao participar do Fórum da China do Círculo Ártico, realizada em Xangai, Wang propôs a realização de expedições científicas conjuntas ao Polo Norte e compartilhar os dados obtidos com outros países, para promover o monitoramento e avaliação das alterações climáticas e ambientais no Ártico, para aprofundar a sua compreensão e exploração.

Wang disse que a China deseja trabalhar com outros países para realizar avaliações científicas sobre os impactos das mudanças climáticas globais e das atividades humanas no ecossistema do ecossistema do Ártico, e promover a cooperação internacional na proteção das espécies do Ártico e na restauração natural do seu ecossistema. Ele ainda afirmou que o país asiático espera consolidar e expandir a parceria com os países do Círculo Ártico, promover os intercâmbios culturais e econômicos e construir uma “Rota da Seda no Gelo”.

O Fórum da China do Círculo Ártico contou com a participação de aproximadamente 500 diplomatas, acadêmicos e empresários de países e regiões como China, Islândia, EUA, Canadá, União Europeia, Noruega, Suécia, Polônia, Japão, Coreia e índia, assim como representantes dos aborígenes do Ártico.

Por iniciativa da Islândia, a Assembleia do Círculo Polar Ártico foi fundada em 2013 e é a maior congregação internacional relacionada ao Ártico. As assembleias são realizadas em outubro, na Islândia, enquanto os Fóruns Especiais do Círculo Ártico acontecem nos outros países.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.