Campo petrolífero no norte da China adota energia verde

Petróleo é extraído do subsolo com energia solar

Créditos: Xinhua/Sun Fanyue

A PetroChina Dagang Oilfield Company no Município de Tianjin, norte da China, produz combustível fóssil, mas seu petróleo é extraído do subsolo com energia solar verde.

Em uma de suas instalações, um grupo de mais de 20 poços de petróleo operam todo o dia, todos movidos a eletricidade gerada por mais de 150 painéis fotovoltaicos nas proximidades.

O campo petrolífero construiu instalações de energia fotovoltaica com capacidade instalada de 14 megawatts, gerando 8,7 milhões de kWh de eletricidade no primeiro semestre de 2022, segundo Zhao Pingqi, funcionário da empresa.

Um total de instalações de energia de 48 megawatts no campo petrolífero entrará em operação até o final deste ano, com uma produção anual de eletricidade de cerca de 65 milhões de kWh, reduzindo mais de 50 mil toneladas de emissões de dióxido carbono produzidas pela geração da energia térmica, disse Li Jianliang, vice-gestor do departamento da nova energia da empresa.

O Campo Petrolífero de Dagang, que começou a produção em 1964, é o terceiro campo petrolífero desenvolvido e operado pela China após 1949. No ano passado, o campo teve uma produção de petróleo e gás de cerca de 4,5 milhões de toneladas de óleo equivalente.

Como parte de seu ambicioso plano de redução das emissões de carbono, a empresa planeja aumentar sua capacidade instalada de energia eólica e solar para 650 megawatts até o final de 2025, não apenas satisfazendo suas próprias necessidades, mas também vendendo o excedente.

Segundo Dai Houliang, presidente da PetroChina, a nova energia será responsável por 7% e 50% da capacidade total de produção de energia da empresa até 2025 e 2050, respectivamente.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.