Brasileiros discutem ambiente para empreendedorismo na China

Discussão teve foco na CIIE, feira internacional de importação do país asiático

Brasileiros discutiram o cenário para empreendedorismo na China durante o quarto webinar do evento “A China no Mundo Pós-pandemia”, organizado pela revista China Hoje em parceria com o Instituto Confúcio da Unesp.

A discussão foi aberta por Casimira Cui, Adida civil do Departamento Econômico e Comercial da embaixada da República Popular da China no Brasil, que acompanha a CIIE (Exposição Internacional de Importação da China) desde a sua primeira edição, em 2018.

“A CIIE é a primeira feira de nível nacional no mundo com tema de importação. A exposição tem como objetivo apoiar a liberalização do comércio, globalização econômica e abrir o mercado chinês para o mundo”, explicou.

Ela ainda se mostrou otimista com o cenário para a próxima edição do evento, que começa em 5 de novembro, em Xangai. “Neste ano, mais de 20 empresas brasileiras participarão da feira, principalmente através dos seus escritórios de representação ou empresas parceiras na China”.

Eduardo Ponticelli, Head do projeto Shangai Connection e CEO da Ilec International, concordou com a fala de Cui. “As feiras na China são uma porta de entrada para os produtos brasileiros.  Não temos entendimento da capacidade econômica da China e precisamos aproveitar essas oportunidades”, ele justificou.

“Os brasileiros só conhecem uma via dos negócios da China que é a importação, o ‘made in China’. Mas existe outra via que é produzir no país. Você pode levar o corpo técnico da sua empresa e criar seu produto na China, dentro dos padrões e normas técnicas do país”, explicou.

Encerrando o debate, os espectadores tiveram a chance de conhecer mais sobre a Associação de Empresas Brasileiras na China para Indústria, Comércio e Tecnologia (BraCham).

“Nós temos reunião trimestrais, em que tratamos assuntos consulares, desde questões de vistos e regras alteradas na China, e passamos indicadores de custos gerais, como de commodities e transporte. Também fazemos apresentações tanto das empresas brasileiras presentes na China, quanto com convidados de temas de interesse de todos”, explicou Henry Osvald, Presidente da BraCham.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.