Bolsa de NY volta atrás e desiste de excluir empresas chinesas

NYSE comunicou “novas consultas” e manterá as negociações das companhias

A Bolsa de Valores de Nova York anunciou na madrugada desta terça-feira que não vai mais encerrar as negociações de três grandes empresas de telecomunicações chinesas. No comunicado, a NYSE declarou que tomou a decisão “à luz de novas consultas com as autoridades reguladoras relevantes.”

Na última semana, a bolsa comunicou que excluiria as empresas China Mobile Ltd, a China Telecom Corp Ltd e a China Unicom Hong Kong Ltd. A NYSE alegava preocupações com supostos vínculos das companhias com as forças armadas dos países asiáticos. Isso poderia ferir uma recente ordem do governo dos Estados Unidos que proíbe investimentos americanos em organizações sob controle do exército chinês.

A mudança na decisão da bolsa de valores veio após o Ministério das Relações Exteriores da China declarar que os Estados Unidos abusam do poder estatal e do pretexto de segurança nacional para pressionar empresas chinesas e politizar questões comerciais.

A China Mobile, maior companhia de telecomunicações do país, está listada na Bolsa de Valores de Nova York desde 1997. A China Telecom e a China Unicom negociam lá desde o começo dos anos 2000.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.