Biodiversidade dos principais lagos da Mongólia Interior cresce nos últimos anos

Depois de uma série de medidas terem sido tomadas pelas autoridades da região, os lagos tiveram uma grande melhora de seu ambiente ecológico

As autoridades da Região Autônoma da Mongólia Interior revelaram que os três principais lagos da região, o Lago Hulun, o Lago Ulan Suhai e o Lago Daihai, vêm testemunhando nos últimos anos uma grande melhora do seu ambiente ecológico e um aumento da biodiversidade. Após terem sido tomadas uma série de medidas nesses últimos anos, os lagos fizeram grandes progressos na recuperação de pântanos e na melhoria da biodiversidade.

De acordo com as estatísticas, mais de 28 mil pássaros de 61 espécies passaram o verão na reserva natural do Lago Hunlun em 2018, 2,5 vezes mais que em 2013. O número de gansos-africanos, um tipo de grande ganso raro, cresceu rapidamente, indo de 557 para 5.629. O colheiro europeu também teve um grande salto do número de animais, de 95 para 1.359.

O Lago Ulan Suhai, localizado na margem norte do curso médio do Rio Amarelo, é um dos maiores lagos de água doce na China. Desde que os esgotos urbanos e águas residuais industriais na área foram desviados, o lago vem registrando uma grande melhora na qualidade da sua água. Segundo a reserva natural de aves aquáticas do pântano do Lago Ulan Suhai, o número e as espécies de pássaros e animais terrestres selvagens na sua reserva natural estão aumentando.

O Lago Daihai, terceiro maior da região, implementou, nos últimos anos, uma série de medidas para recuperar terra ocupada para pântanos. Os pântanos e as pradarias recuperadas têm ajudado a proteger os recursos hídricos, a melhorar a qualidade da água e conduzido um aumento no número de animais selvagens.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.