Autor: Administrador

China inaugura e planeja novos sistemas de observação atmosférica

setembro 10, 2018 7:00 pm Published by Leave your thoughts

Primeiro sistema de observação atmosférica independentemente desenvolvido, instalado no Tibete

A China está desenvolvendo novas estações de observação atmosférica no país, devido ao aumento da demanda das pesquisas científicas por maiores informações sobre condições atmosféricas e à sobrecarga das estações meteorológicas. Novas bases já estão sendo inauguradas ao longo do país, enquanto outras estão sendo planejadas.

Foi inaugurado na Região Autônoma do Tibete o primeiro sistema de observação atmosférica independentemente desenvolvido. A região do planalto de Qinghai-Tibete, no sudoeste da China, foi escolhida por possuir uma importante influência nas mudanças climáticas e ambientais em âmbito mundial.

Batizada de APSOS (Sistema de Observação Sintética de Perfil Atmosférico, na sigla em inglês), a instalação coleta dados atmosféricos e monitora fatores como a temperatura, velocidade dos ventos, níveis de ozônio e dióxido de carbono.

Além disso, foi feito um acordo entre o Instituto de Física Atmosférica da Academia Chinesa de Ciências e o distrito de Laoting, no norte da China, para construir na região uma estação de pesquisa atmosférica e marítima, além de uma base industrial. Será construída uma plataforma de observação no mar para conduzir observação meteorológica oceânica contínua, cobrindo longas distâncias com forte resistência sob condições meteorológicas severas. A estação terá um centro de observação remota e de controle na costa.


Revitalização das áreas rurais da China ganha novo impulso

setembro 10, 2018 5:02 pm Published by Leave your thoughts

Os agricultores chineses aderem ao comércio eletrônico para incrementar as vendas de seus produtos e auferir melhores ganhos.

À medida que o impulso da reforma e abertura da China chega à sua quinta década, o país lança o documento Opiniões sobre a Implementação da Estratégia de Revitalização Rural, que mapeia o projeto de uma política para acelerar a modernização da agricultura e das áreas rurais dentro de um socialismo com características chinesas.

O documento convocou o partido inteiro e todos os setores do país a promover um avanço abrangente da agricultura. A revitalização rural trata não só de desenvolvimento econômico, mas envolve progresso político, cultural, social e ecológico do campo e de seus habitantes.

Segundo o Opiniões, por volta de 2020, a estrutura institucional e o sistema político irão ganhar forma à medida que o impulso de revitalização rural faça avanços importantes; por volta de 2035, a modernização da agricultura e das áreas rurais se tornará fundamentalmente uma realidade, com progressos decisivos; em 2050, as áreas rurais deverão ter uma agricultura forte, um belo meio ambiente e fazendeiros prósperos, com a revitalização rural plenamente alcançada.

Mudanças rurais

Quando o esforço de reforma e abertura da China foi iniciado há quatro décadas, a reforma do sistema econômico foi também levada adiante nas áreas rurais. Com base na propriedade coletiva da terra, foi introduzida no interior a gestão de contratos de responsabilidade por unidades familiares. A passagem para o modelo em que a indústria alimenta a agricultura e as cidades sustentam áreas rurais trouxe um rápido desenvolvimento do comércio, da indústria e dos transportes da área rural, que sofreu então grandes mudanças.

Quando os agricultores vieram em grande número para as cidades à procura de emprego, suas terras arrendadas ficaram subutilizadas. No entanto, o país não tomou de volta dos agricultores o direito às terras arrendadas, estendendo em vez disso o prazo do arrendamento, e incentivando-os a transferir a gestão do direito à terra. Com isso os agricultores viraram parceiros e trabalhadores agrícolas.

O Relatório de Desenvolvimento Rural da China de 2017, preparado pela Academia Chinesa de Ciências Sociais, lista as drásticas mudanças que ocorreram na economia e na sociedade rural da China nos últimos anos: a diminuição da disparidade regional, o avanço ordenado da reforma do sistema de direitos sobre propriedade coletiva, a diversificação dos empreendedores, a emergência de novos setores, atividades de negócios e modelos, o rápido desenvolvimento de novas e inovadoras instituições de financiamento rural, regras e convenções de aldeias para regulamentar os negócios públicos nas áreas rurais, que teve papel positivo em manter a ordem social rural e implementar políticas nacionais, e as imensas realizações na assistência médica rural e nas áreas de segurança social.

Tudo isso tem lançado os alicerces para a formação e implementação do plano de revitalização rural.

Modernização agrícola

Para desenvolver áreas rurais, a chave é a agricultura. Portanto, incentivar a agricultura e trazer benefícios aos produtores têm sido a prioridade da agenda de revitalização rural. Devem ser feitos esforços para cultivar setores sólidos, que então irão sustentar o programa de revitalização rural. Núcleos familiares e cooperativas de agricultores, ao lado de novos operadores de negócios como as grandes empresas agrícolas, podem desempenhar um papel importante na promoção do desenvolvimento industrial.

Áreas rurais por todo o país estão explorando maneiras de impulsionar o desenvolvimento rural. Em 2011, 18 especialistas agrícolas da vila de Houhou, em Xingyang, Província de Henan, fundaram a Cooperativa Agrícola Especializada Xintiandi, e montaram unidades de produção agrícola em 50 vilas de Xingyang, oferecendo a agricultores locais todo um pacote de serviços socializados, que envolvem o processo inteiro da produção de cereais. A cooperativa também tem parcerias com amis de 30 processadoras de grãos, 20 fábricas de ração e com a Henan Wanxi Pharmaceutical, o que assegura a compra em tempo hábil das colheitas de grãos dos agricultores.

Com 203 núcleos familiares participando no momento, a Cooperativa Xintiandi mobiliza 12 mil núcleos familiares em sete cidades e aldeias vizinhas para o plantio de novas espécies de trigo e milho, com uma produção anual de mais de 50 mil toneladas.

A vila de Dongwangzhuang, na cidade de Xigang, parte da cidade de Tengzhou, em Shandong, não foi dotada de boas condições para a agricultura. Muitos agricultores locais preferiram virar trabalhadores migrantes, deixando suas terras desatendidas.

Para promover o desenvolvimento agrícola local, a Cooperativa Tengzhou de Suprimentos e Marketing decidiu introduzir um modelo de curadoria para a partilha da terra: os agricultores locais tornaram-se acionistas de sua terra de 70 hectares, o Centro de Serviços Agrícolas de Xigang contribuiu com 420 mil yuans para o grupo de acionistas, e a coletividade da vila aderiu ao esquema acionário de terras não arrendadas da vila, terras recém-recuperadas e instalações agrícolas.

Além do dividendo mínimo garantido de 900 a 1.000 yuans por mu (cerca de 666 m²), os agricultores podem também obter dividendos sobre os ganhos. De momento, a vila entregou a administração de todas as suas terras à curadoria, o que gerou um aumento da renda anual de 100 mil yuans para a coletividade da vila, e um crescimento da renda de 2,36 milhões de yuans para os agricultores.

Agora, essa prática de Tengzhou está sendo promovida em várias províncias agrícolas, aumentando a produtividade, a renda dos agricultores e os ganhos da cooperativa.

Trabalhadora examina as mudas de Dendrobium officinale, uma espécie de orquídea, usada com frequência na medicina tradicional chinesa, numa unidade de cultura da vila de Dongbei, cidade de Xinghua, província de Jiangsu

O papel da ciência e tecnologia

Produtos tradicionais da agricultura rendem aos agricultores apenas pequenos ganhos. Aumentar o valor agregado da produção agrícola por meio de ciência e tecnologia torna-se uma importante maneira de melhorar a renda dos agricultores. Gerente geral da Hainan Wanzhong Co., Li Yusheng está no setor agrícola há 21 anos. Há oito anos, ciente de que mais de 95% dos abacaxis plantados na China eram da espécie Bali, Li decidiu desenvolver uma variedade mais lucrativa. Após anos de esforços, a equipe de Li, em cooperação com colegas, desenvolveu um conjunto de técnicas de plantio de “abacaxis dourados” cobrindo todos os passos do cultivo, da irrigação, fertilização até o acompanhamento de mudas.

O passo seguinte foi a formação de um núcleo industrial de abacaxis dourados de Hainan, com cultivos padronizados, uma cadeia industrial de alta qualidade e desenvolvimento sustentável. A base de abacaxis dourados de Li emprega mais de mil trabalhadores em cada cultivo.

Agora Li está tentando conectar sua base de cultivos à rodovia próxima, uma medida para melhorar a operação geral da base e promover seu desenvolvimento. Além disso, também planeja montar uma fábrica de processamento integral do abacaxi, a fim de avançar na integração vertical dos setores primário, secundário e terciário no negócio de abacaxi do Condado de Ledong, em Hainan, além de aumentar o lucro dos produtos agrícolas.

“Para dar uma vantagem ao setor do abacaxi, é necessário ir além dos limites da agricultura, promovendo o desenvolvimento integrado dos setores primário, secundário e terciário. Isso irá tornar o cultivo mais lucrativo, assegurar o constante aumento da renda dos agricultores, melhorar a coesão das organizações rurais nativas, e transformar a área rural num lugar bonito, alcançando assim uma modernização rural na nova era”, declarou Kong Xiangzhi, professor da Escola de Economia Agrícola e Desenvolvimento Rural da Universidade de Renmin da China.

A indústria alimentando a agricultura

A moderna agricultura inevitavelmente implica o desenvolvimento integrado dos setores primário, secundário e terciário. Áreas rurais modernizadas sem dúvida irão também contribuir para um desenvolvimento rural-urbano coordenado. Sob a anterior estrutura dual urbano-rural da China, as áreas rurais e os agricultores contribuíram imensamente para o desenvolvimento urbano do país. Agora é hora de as cidades fomentarem o desenvolvimento rural.

A vila de Renlaotun, no Condado de Dongming da Província de Shandong, tem uma base industrial pequena. No entanto, nos últimos anos, a influência da plataforma chinesa de comércio digital taobao.com vem penetrando gradualmente na área, e estimulou os negócios on-line locais. Em 2015, o agricultor Zhu Yongjin começou a vender on-line pinturas decorativas que ele mesmo fazia, que atraíram muitos clientes por seu forte sabor local.

Zhu começou então a vender on-line uma série de produtos agrícolas. Tornou-se o primeiro especialista em e-commerce da vila. À medida que essa loja virtual passou a receber mais pedidos e aumentou seu volume de vendas, em 2016 Zhu criou a Dongming County Ali E-business, o centro de serviços de comércio pela internet da cidade de Dongmingji, e o centro de serviços de entrega da cidade. Atualmente, os agricultores da vila de Renlaotun já abriram 72 lojas on-line com 150 pessoas envolvidas no comércio eletrônico, e com volume anual de vendas de 20 milhões de yuans.

“Ao explorar o caminho de desenvolvimento da moderna agricultura, devemos prestar atenção aos seguintes aspectos: melhorar o conteúdo tecnológico da agricultura, em particular no que se refere à incubação e à inovação em técnicas de plantio; promover o desenvolvimento da agricultura inteligente; e avançar numa combinação mais próxima entre a agricultura e as finanças modernas”, destacou Jiang Chun, Secretário do Partido na Universidade Agrícola de Anhui.

“A proposta de revitalização rural objetiva diminuir a defasagem entre o desenvolvimento urbano e o rural e melhorar a atual situação, em que o progresso da modernização agrícola fica atrás em relação à industrialização, informatização e urbanização do país”, observou Wang Julu, presidente da Associação da Sociedade Próspera da China. “O desenvolvimento da agricultura moderna irá inevitavelmente promover o desenvolvimento integrado urbano-rural e a integração dos setores primário, secundário e terciário”, acrescentou Wang.


China começa a desenvolver dirigível civil de passageiros

setembro 6, 2018 7:00 pm Published by Leave your thoughts

A China está desenvolvendo um dirigível civil de passageiros, de acordo com um documento divulgado pela Aviation Industry Corporation of China (AVIC). A aeronave terá 3.500 m³ e poderá transportar até 840 kg, ou aproximadamente dez passageiros, sendo que a duração do voo irá atingir 24 horas, com até 1.000 km de alcance e 3.050 m de altitude.

O dirigível terá sua frente composta pelos compartimentos do piloto e dos passageiros, enquanto na parte traseira dele ficarão os motores de combustíveis. O sistema de controle de voo poderá ser mudado de maneira fácil e rápida de tripulado para não tripulado e o dirigível também pode ser controlado remotamente a partir do solo ou pelo controle de programa.

Os dirigíveis tripulados modernos são adequados para o turismo aéreo e o transporte tanto de passageiros quanto de carga em regiões remotas, uma vez que são econômicos, seguros e confortáveis. Esse que está sendo desenvolvido na China, deverá ser usado no turismo quanto no levantamento e prospecção, no monitoramento oceânico, no transporte de carga e no resgate emergencial, sendo que o seu primeiro voo deverá acontecer em 2020.


Fonte: Xinhua

Fórum internacional sobre ecologia no Cinturão e Rota será realizado na China

setembro 6, 2018 6:30 pm Published by Leave your thoughts

A China irá realizar nos dias 12 e 13 de setembro um fórum internacional de cooperação não governamental sobre a ecologia ao longo da Iniciativa Cinturão e Rota. Sediado na cidade de Wuwei, na província de Ganau, o fórum lançará um projeto de restauração das árvores de choupo do Eufrates ao longo do Cinturão e Rota para promover a cooperação não governamental de reflorestamento, de acordo com Chen Peng, vice-presidente da Fundação Verde da China.

Um plano para angariar fundos para a cooperação internacional do campo da restauração ecológica ainda foi proposto. De acordo com Chen, o caminho para a recuperação ambiental ao longo do Cinturão e Rota será longo e árduo, pois a desertificação e a degradação do solo são graves em muitos países que fazem parte da iniciativa.

Durante o fórum, a China vai compartilhar as suas experiências na área ecológica e promover a cooperação não governamental para enfrentar os problemas ambientais ao longo do Cinturão e Rota, pelo que Chen afirmou. Um total de 180 representantes de mais de 20 países que participam da iniciativa vão fazer parte do evento.


Chineses criam plástico degradável na água do mar

setembro 6, 2018 6:10 pm Published by Leave your thoughts

Cientistas chineses desenvolveram um plástico que de degrada na água do mar e poderia diminuir a progressiva contaminação dos oceanos, que fica mais perigosa a cada dia. Esse novo material é composto de poliéster e pode se decompor em água do mar em até algumas centenas de dias, deixando moléculas pequenas, que não causam poluição, de acordo com Wang Gexia, engenheira sênior do Instituto Técnico de Física e Química da Academia Chinesa de Ciências.

“Durante um longo tempo, as pessoas se concentraram na contaminação por plástico em terra. A ‘contaminação branca’ [como é chamada a poluição por plástico na China] nos mares só chamou a atenção da população recentemente, quando começaram a aparecer notícias de que animais marinhos estavam morrendo em decorrência disso”, acrescentou Wang.

Os cientistas envolvidos no projeto combinaram processos de hidrólise não enzimática, dissolução aquática e biodegradação para desenhar e criar o novo material. A pesquisa foi selecionada recentemente como um dos 30 projetos ganhadores em um concurso de tecnologias inovadoras para o futuro, em Shenzhen. O objetivo da competição era estimular jovens cientistas a desenvolver tecnologias pioneiras e impulsionar a inovação.


Ministério da Educação da China solicita combate às fraudes de teses acadêmicas

setembro 6, 2018 5:45 pm Published by Leave your thoughts

Uma circular que exige que as universidades fechem o cerco às violações acadêmicas das teses de literatura foi divulgada essa semana pelo Ministério da Educação da China. Entre as fraudes mais cometidas, estão o plágio, forjamento, falsificação, ghostwriting, além da compra e venda de dissertações.

O pedido faz parte de um esforço coletivo para restabelecer a ordem na educação superior, e, pelo anúncio, o ministério solicita dos sistemas de gestão uma melhora na supervisão de todas as fases do processo das teses, incluindo a seleção de tópicos, propostas, e defesas, assim como a aplicação rigorosa de detecção de plágio e verificação do local das teses de licenciatura.

Ainda foi solicitado que os currículos escolares se tornassem mais desafiadores e de qualidade superior e que o desempenho de avaliação formativa possa abranger a maior proporção da pontuação do estudante. O sistema de avaliação que é aplicado atualmente aos professores universitários também precisa ser revisitado e a qualidade de ensino deve ter maior peso quando se avalia o desempenho dos docentes.


Fonte: Xinhua

Empresa privada lança foguete suborbital na China

setembro 6, 2018 5:17 pm Published by Leave your thoughts

Uma companhia privada chinesa lançou um foguete suborbital do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, na última quarta-feira (05). Batizado de SQX-1Z, o foguete proporcionará serviços de lançamento de minissatélites para clientes da iSpace, fabricante privada responsável pelo desenvolvimento do suborbital.

O foguete transportou consigo três satélites em miniatura CubeSats, para duas companhias comerciais chinesas. Depois de entrar em sua órbita preestabelecida, ele lançou dois dos satélites para testes e o terceiro, para a Terra com paraquedas. A trajetória de voo de um foguete suborbital normalmente é menor que a órbita completa da Terra, podendo atingir mais de 100 km sobre o nível do mar e logo voltar para a Terra.

Com 9,5 m de comprimento, o SQX-1Z pode alcançar altura máxima de 175 km e tem 1.600 m/s. como velocidade máxima. Esse já é o segundo lançamento da companhia esse ano, sendo que em abril eles lançaram um foguete suborbital, o Hyperbola-1S, de um centro de lançamento na província de Hainan. A empresa ainda planeja lançar um foguete transportador em 2019.


Macau organizará o Festival Internacional de Artes em 2019

setembro 6, 2018 3:45 pm Published by Leave your thoughts

A Região Administrativa Especial de Macau irá organizar em 2019 o Festival Internacional de Artes, um super evento que deverá ter quatro meses de duração e uma programação que inclui as comemorações do Dia de Portugal; a 16ª edição do Festival Juvenil Internacional de Dança e o 30° Festival de Artes de Macau.

De acordo com o Instituto Cultural de Macau, o festival promete “impulsionar o turismo por meio da cultura, permitindo aos turistas experimentarem mais projetos culturais ricos em Macau”. Alexis Tam, secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, afirmou em um comunicado que, apesar de o festival ainda não ter uma data oficial, os eventos organizados serão abrangentes.

Ele, que é o responsável pela cultura da RAE, teve um encontro com o ministro da Cultura da China, Luo Shungang, durante a 10ª reunião dos Ministros da Cultura da China, Japão e Coreia do Sul. Os dois buscam promover o intercâmbio entre o interior da China e Macau e a cooperação cultural entre a China e os países de língua portuguesa, sendo que o Festival Internacional de Artes.


Em Xiamen, a primeira ciclovia elevada da China

setembro 6, 2018 2:45 pm Published by Leave your thoughts

“É incrível andar de bicicleta numa ciclovia elevada que passa por cima do agitado centro de Xiamen. É realmente fantástico curtir a espetacular paisagem da cidade enquanto você pedala e conversa com os amigos”, diz Song Hua, estudante de doutorado da Universidade de Xiamen, que ainda de entusiasma o lembrar da sua primeira experiência nessa pioneira ciclovia elevada da China, em Xiamen.

Transporte ecológico

A pista elevada para bicicletas a que se refere Song Hua fica no centro da ilha de Xiamen. Trata-se da ciclovia elevada mais extensa do mundo, com 7,6 km. Sua construção teve início em agosto de 2016 e levou apenas cinco meses. Entrou em funcionamento em janeiro do ano passado.

A ilha de Xiamen constitui a área central da cidade de mesmo nome, e abriga numerosos centros empresariais de grande porte, áreas comerciais e núcleos residenciais. Apesar de seu tamanho relativamente pequeno, tem alta densidade populacional e tráfego intenso. Com seu rápido desenvolvimento urbano, a ilha também enfrenta diversos problemas urbanos, entre eles o rápido aumento do número de veículos motorizados, que sobrecarregou a rede viária da ilha. Para aliviar a situação do trânsito, Xiamen utilizou criativamente os espaços de diversos níveis. O sistema de Trânsito Rápido de Ônibus (BRT, na sigla em inglês) dentro da ilha é constituído por uma rede de viadutos que entrou em funcionamento em setembro de 2008 como primeiro sistema elevado de BRT do país. A ciclovia foi construída ao longo da rota do BRT a cinco metros do chão e por baixo da rede de BRT de nove metros de altura. Começa na estação de Hongwen e termina na de Xianhou.

Segundo Rao Jianhui, gerente do projeto de construção da ciclovia, nos primeiros dias do planejamento do projeto havia várias opções para o percurso, mas finalmente decidiram construir a pista ao longo da rede BRT, tendo em conta que a estrutura dos viadutos do sistema facilitaria a construção da rota ciclística, e que a rede BRT atravessa muitos centros comerciais e áreas residenciais com uma população densa, e com isso a ciclovia poderia oferecer comodidade a mais pessoas.

Localização bem projetada

Ao relembrar sua primeira experiência com a pista de bicicletas elevada, Song Hua diz que o que mais o impressionou foi a área de descanso. “Você não precisa pedalar o tempo todo até o fim. Quando você se sente cansado ou quer parar e apreciar um pouco a paisagem, encontra facilmente uma zona de descanso na ciclovia. ”

“Há muitas seções para os giros em U, para descanso e desaceleração. Se você passa da saída, pode encontra facilmente um local para fazer o retorno”, destaca Wei Jianlong, empregado do centro municipal de administração da pista elevada para bicicletas.

Segundo Wei, a ciclovia elevada tem 11 entradas e igual número de saídas, cruza três pontes de pedestres e conecta-se às estações BRT e paradas de ônibus ao longo do percurso. Depois que for concluída a linha de metrô local, a ciclovia irá conectar-se a duas estações dela. Além disso, há sete plataformas para estacionamento de bicicletas, equipadas com elevadores. A ciclovia passa por três parques industriais, cinco grandes áreas residenciais, três grandes centros comerciais e alguns departamentos de serviços públicos, entre eles o centro de serviços municipais.

“Nossa primeira viagem de bicicleta na ciclovia foi em parte por curiosidade, e também porque tínhamos o plano de jantar num restaurante de um centro próximo à pista. Foi muito prático. Depois de sair da pista, bastaram alguns minutos para chegar ao restaurante”, declara Song Hua à China Hoje.

Depois que a ciclovia elevada entrou em operação, a quantidade média diária de passageiros de bicicleta foi mantida em torno dos 5 mil. Wu Yuanquan, residente local, lembra que costumava dirigir até o trabalho e que de vez em quando pegava o ônibus BRT, mas agora a bicicleta virou a sua escolha favorita. “Antes dirigia até o trabalho, mas era comum ter de enfrentar muito trânsito. De vez em quando, pegava o ônibus BRT. O triste era que o ônibus BRT vinha lotado demais nas horas de pico. Agora estou muito satisfeito em ver essa ciclovia elevada. Não só economizo tempo de viagem, mas também posso fazer um pouco de exercício físico”, conclui Wu Yuanquan.

Um atraente corredor verde

Depois que foi concluída, muitos residentes que não moram nas comunidades próximas também fizeram visitas especiais à ciclovia, o que a transformou também em atração turística. “Muitos dos meus colegas de classe vêm experimentar a ciclovia elevada. Todos ficam muito impressionados. Sabem que se trata da primeira da China, o que torna a experiência ainda mais emocionante. A primeira vez que pedalamos lá em cima foi numa tarde de maio. Foi uma viagem muito confortável e agradável, e soprava uma brisa amena roçando a pele. É um viaduto sinuoso e tem uma aparência espetacular, graças ao seu design original”, declara Song Hua.

Entre as bonitas vistas ao longo do percurso ciclístico há não só deslumbrantes centros comerciais, mas também parques encantadores, com vegetação exuberante e lagos de águas cristalinas. Muitos ciclistas comentaram que a paisagem impressionante, junto com o ar fresco de Xiamen, promove nelas um estado de relaxamento e alegria.

“Durante a Festa da Primavera, o fluxo de bicicletas chegou perto da capacidade máxima quase todos os dias, de 9 da manhã até 4 da tarde. Portanto, tivemos de adotar algumas medidas para restringir o acesso e garantir um fluxo sem obstruções”, explica Wei Jianlong. A capacidade máxima do tráfego da ciclovia está projetada para 2 mil bicicletas por hora em cada uma das mãos de direção, com uma velocidade máxima de 25 km/h.

A pista para bicicletas está pavimentada na cor verde, com algumas zonas de desaceleração de cor laranja e zonas de espera de cor azul, entremeadas ao longo do caminho. Segundo Wei Jianlong, a ciclovia está equipada com uma câmera a cada 200 m, o que permite ao centro de monitoramento observar a situação nas pistas em tempo real. Além disso, para garantir sua operação segura e ordenada, a pista elevada para bicicletas tem pelo menos um membro do pessoal de gerenciamento em cada entrada ou saída, e conta também com dois ou três guardas nas interseções principais.

A pista elevada é exclusiva para bicicletas, e é proibido o acesso a veículos elétricos e motorizados, assim como a pedestres. “Em cada uma das entradas e saídas está instalado um sistema de controle de entrada. Com suas imagens estéreo e escaneamento inteligente, o sistema pode detectar qualquer veículo não qualificado e bloquear sua entrada. Com suas imagens estéreo e escaneamento inteligente, o sistema pode detectar qualquer veículo não qualificado e bloquear sua entrada, ao mesmo tempo em que envia um alarme para o centro de monitoramento”, esclarece Wei Jianlong. Graças à sua gestão moderna e eficiente e ao monitoramento dinâmico, até o momento a ciclovia elevada não registrou nenhum acidente.


Maioria dos jovens chineses só se casaria se fosse para toda a vida

setembro 6, 2018 1:00 pm Published by Leave your thoughts

Mais da metade dos jovens chineses afirma que só irá se casar se encontrar um companheiro para a vida inteira, de acordo com uma pesquisa publicada pelo jornal China Youth Daily. Um total de 1.962 jovens foram entrevistados para a pesquisa, sendo que 51,8% deles associaram o casamento ao amor eterno.

Outros resultados apresentados pelo estudo foram o de que 48,4% dos entrevistados disseram ver o amor como a base do casamento e que 40,7% deles sentem vontade de se casar porque amam crianças. Apesar disso, mais de um quarto dos jovens que participaram da pesquisa afirmaram que o casamento não tem nada a ver com o amor, mas sim com as necessidades de cada cônjuge.

Quando o assunto abordado foi o divórcio, cerca de 16% dos entrevistados afirmaram que nunca se separariam, e que nem iriam se casar se não estivessem completamente certos do futuro do relacionamento. Apenas 4,6% dos jovens disseram nem cogitar uma vida a dois.