Autor: Administrador

Cresce o número de pandas gigantes de Qinling

novembro 26, 2018 11:00 am Published by Leave your thoughts

O número de pandas gigantes de Qinling, uma subespécie que foi reconhecida pela primeira vez em 2005, está crescendo. O número de animais selvagens foi de 109 nos anos de 1980, para 345, nos dias atuais, segundo informações divulgadas pelas autoridades durante um evento para promover os pandas que aconteceu em Xi’an, na província de Shaanxi.

Xue Jianxing, diretor do departamento florestal provincial de Shaanxi, afirmou que há uma média de dez pandas gigantes de Qinling selvagens a cada 100 km² na região das Montanhas Qinling. A subespécie possui um crânio menor e mais redondo; focinho mais curto e tem o pelo menor do que o dos pandas de vivem em Sichuan e Gansu.

“Não foi apenas o número de pandas gigantes de Qinling que aumentou, mas também a área de seu habitat, que foi de 1.037 km² nos anos de 1980 para 3.600 km²”, informou Xue. Durante o evento, ainda foi estabelecida a administração de gestão de Shaanxi para um parque nacional de pandas gigantes.


Universidade de Oxford abre centro de pesquisa na China

novembro 26, 2018 10:13 am Published by Leave your thoughts

O primeiro centro internacional de pesquisa de ciências físicas e engenharia da Universidade de Oxford foi inaugurado na última semana na província chinesa de Jiangsu. De acordo com o site oficial da universidade, ele foi batizado de Centro de Pesquisa Avançada de Oxford-Suzhou (OSCAR, na sigla em inglês), e fica localizado no Parque Industrial de Suzhou, que também é o financiador do centro.

Os programas de pesquisa iniciais serão liderados por grupos dos departamentos de Engenharia, Física, Química e Materiais da universidade. As aplicações desses programas envolvem informática da saúde, engenharia de tecidos e técnicas de imagens biomédicas até remediação ambiental, materiais avançados e dispositivos eletrônicos.

No total, 12 acadêmicos liderarão esses projetos e irão trabalhar no centro durante ao menos dois meses todos os anos. Louise Richardson, vice-reitora de Oxford, disse que a cooperação com a China proporcionou uma oportunidade interessante e afirmou esperar mais realizações em áreas novas e inovadoras.


CIIE é recriada com tecnologia de realidade virtual

novembro 22, 2018 2:40 pm Published by Leave your thoughts

A Exposição Internacional de Importação da China (CIIE) já acabou, mas foi lançada uma plataforma online que permite que internautas revisitem o evento por meio de tecnologia de realidade virtual (VR). Os usuários podem visitar os mais de 1.300 estandes e 4.600 cenários por meio de celulares, computadores portáteis e óculos de VR.

As imagens usadas para montar a plataforma foram coletadas por câmeras durante os seis dias de evento, e segundo o chefe do projeto de VR, Li Jingjing, a equipe buscou preservar o espetáculo da exposição e mantê-la funcionando para sempre.

A CIIE contou com um total de 172 países, regiões e organizações internacionais e atraiu mais de 3.600 empresas e mais de 400 mil compradores. Durante a exposição, um valor total de US$ 57,83 bilhões foi movimentado por acordos de compras de serviços e mercadorias de um ano de duração.


Xinjiang recebe mais de 3 bilhões de yuans em investimentos em cultura pública

novembro 22, 2018 1:40 pm Published by Leave your thoughts

Museu Regional de Xinjiang

O governo central da China e as autoridades da Região Autônoma Uigur de Xinjiang investiram nos últimos cinco anos um total de 3 bilhões de yuans (aproximadamente US$ 430 milhões) no desenvolvimento da cultura pública da região.

Desde 2013, foram investidos mais de 2,1 bilhões de yuans na construção de infraestrutura, 680 milhões de yuans na promoção da entrada gratuita em museus e bibliotecas e 166 milhões de yuans no desenvolvimento de produtos culturais digitais públicos, segundo o diretor do escritório de cultura pública do departamento regional de cultura, Wang Shusheng.

Estatísticas oficiais mostram que desde 2015, aproximadamente 100 milhões de yuans foram distribuídos para os distritos mais pobres localizados ao sul da região. De acordo com Wang, o objetivo disso era o de financiar as instalações culturais básicas.

Xinjiang conta atualmente com 9,43 mil organizações de cultura pública, incluindo bibliotecas, museus e galerias de arte, nas quais trabalham 37 mil pessoas. Todos os distritos e aldeias da região contam com instalações do tipo, segundo informações de autoridades regionais.


Fonte: Xinhua

Projeto de alimentação nas escolas beneficia quase 1 milhão de crianças na China

novembro 22, 2018 12:35 pm Published by Leave your thoughts

Um projeto de alimentação na escola, que foi lançado há 10 anos pela Fundação Chinesa para o Alívio da Pobreza, teve investimento governamental de 280 milhões de yuans (US$ 40,4 milhões) e beneficiou 936 mil crianças chinesas de áreas necessitadas. O objetivo da iniciativa é de ajudar as crianças de regiões rurais pobres a ingerir a quantidade diária de proteína necessária para o crescimento saudável.

Foram fornecidas quase 51 milhões de porções diárias de produtos lácteos suplementares para os alunos beneficiados pelo projeto, além de terem sido construídas cantinas padronizadas em escolas rurais. O projeto abrange atualmente 14 regiões de nível provincial, entre elas, Yunnan, Guizhou, Sichuan e Xinjiang.

No total, cerca de 310 milhões de yuans foram arrecadados em doações em todos os anos em que o projeto existe, sendo que cerca de 70% delas foram contribuições públicas. Segundo a fundação, mais de 32 milhões de yuans foram usados para ajudar crianças de outros países, como Camboja e Gana.


China lança satélites gêmeos Beidou

novembro 22, 2018 11:30 am Published by Leave your thoughts

A China realizou nesta semana o lançamento de dois satélites de navegação Beidou com um foguete transportador Longa Marcha-3B. Após saírem do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, na província de Sichuan, os satélites voaram por mais de três horas e entraram em sua órbita média terrestre, onde vão operar com 17 aparelhos Beidou-3 que já estão em órbita.

Com o sucesso do lançamento desses satélites, que são o 42° e 43 do sistema de navegação Beidu (BDS, na sigla em inglês), está concluída a implantação básica da constelação do BDS. Os planos da China envolvem usar esse sistema para fornecer serviços de navegação para países da Iniciativa Cinturão e Rota, o que deve começar a acontecer até o final desse ano.

Yang Changfeng, programador-chefe do sistema, afirmou que esse é um passo essencial para o desenvolvimento do BDS de um sistema experimental doméstico para regional, e posteriormente, global. Ele ainda disse que a precisão de posicionamento do sistema BDS-3 passou de 2,5 para 5 metros, o que é duas vezes melhor do que o BDS-2.

A China ainda planeja lançar mais três satélites BDS-3 para as órbitas médias terrestres, três para a órbita geossíncrona inclinada e dois para a órbita geoestacionária entre 2019 e 2020. Os seus planos envolvem fornecer, até o final de 2020, serviços de primeira classe em todo o mundo.


Xi Jinping e Macron trocam mensagens sobre o Ano China-França do Meio Ambiente

novembro 22, 2018 10:25 am Published by Leave your thoughts

O Ano China-França do Meio Ambiente foi lançado oficialmente no início da semana e o presidente chinês, Xi Jinping, trocou mensagens de felicitação com o presidente da França, Emmanuel Macron. Xi afirmou que o avanço ecológico leva à prosperidade de civilização, enquanto a deterioração ecológica leva ao seu declínio.

Em sua mensagem, Xi ainda disse que o objetivo do Ano China-França do Meio Ambiente é o de reforçar o diálogo e a cooperação entre os dois países em áreas como proteção ecológica, mudança climática e biodiversidade, para que os seus esforços sejam concentrados em formas de lidar com os maiores problemas mundiais relacionados ao ambiente. “A China quer trabalhar com a França e a comunidade internacional para proteger nosso planeta para a segurança da sobrevivência humana e a construção de um mundo limpo e bonito”, disse o chinês.

Macron, por sua vez, disse em sua mensagem que a luta contra a mudança climática e proteção do ambiente e da biodiversidade estão entre os desafios mais importantes enfrentados pela humanidade. O francês ainda afirmou que a China está promovendo uma civilização ecológica e participando ativamente do processo multilateral de governança climática, estabelecendo uma base sólida para cooperações com a França.

O Ano China-França do Meio Ambiente é uma decisão conjunta que foi tomada pelos líderes dos dois países durante a visita de Estado que Macron fez à China no início de 2018.


Governo chinês investiga fusão entre Didi e Uber

novembro 22, 2018 9:24 am Published by Leave your thoughts

O órgão regulador do mercado chinês está investigando, com base na lei e nos regulamentos antitruste, a fusão de negócios entre a Didi (empresa chinesa de transporte e tecnologia, semelhante à Uber) e a subsidiária chinesa da própria Uber. A informação foi divulgada por Wu Zhenguo, diretor do Departamento Antimonopólio da Administração Estatal de Regulação de Mercado, em uma entrevista coletiva.

Wu afirmou que o governo está trabalhando para avaliar de maneira abrangente o impacto dessa fusão sobre a concorrência e o desenvolvimento da indústria, e garantiu que a China vai combater com firmeza as atividades monopolistas que prejudicam os direitos dos consumidores.

Segundo o diretor, o governo presta bastante atenção à concorrência na nova economia e adota princípios regulatórios inclusivos e prudentes, além de dar amplo espaço para a competição de mercado para fortalecer o ímpeto inovador em setores da internet, e consolidar regras regulatórias e sistemas. Wu também prometeu mais esforços para prevenir o monopólio e barreiras de mercado e para proteger os interesses do público.

As investigações antitruste da China são abertas e transparentes, segundo Wu, que ainda disse que 41% dos casos do tipo geridos pela antiga Administração Estatal de Indústria e Comércio são concentrados em empresas estatais, e menos de 11% afetam empresas estrangeiras.


Pequim elimina uso de carvão para aquecimento no inverno

novembro 21, 2018 1:30 pm Published by Leave your thoughts

Pequim conseguiu cumprir seu plano de eliminar o uso de carvão em mais 450 vilas em 2018, a tempo do início da estação de aquecimento no inverno, de acordo com um informe da Comissão Municipal de Assuntos Rurais de Pequim. A cidade intensificou os seus esforços para que as aldeias não usassem mais carvão, uma vez que a queima do material prejudica os objetivos municipais de controle da poluição.

A capital do país e sua maior metrópole, Pequim tem uma população de mais de 21 milhões de habitantes e lançou em 2013 um programa para reduzir o uso do carvão em favor de uma energia limpa, para melhorar a qualidade do ar. Até o final de outubro deste ano, quase 3 mil vilarejos conseguiram eliminar o uso do carvão, sendo que 858,1 mil famílias trocaram o material por energia limpa para se aquecer nesse inverno.

Como resultado dessa política, a qualidade do ar em Pequim melhorou consideravelmente. A densidade média de PM 2,5 (um indicador de poluição bastante utilizado) da cidade foi de 55 µg/m³ durante os primeiros sete meses deste ano, ou seja, 14,1% a menos que no mesmo período de 2017, que por sua vez, já era 20,5% a menos que em 2016.

Han Zheng, vice-premiê chinês, ressaltou no último mês a importância do uso de energia limpa para o aquecimento no inverno na região norte do país, evidenciando que a China deve garantir que os cidadãos dessa região tenham um aquecimento seguro enquanto avança na melhora da qualidade do ar. Um plano divulgado em setembro diz que um total de 3,62 milhões de famílias em Pequim, Tianjin e outras 26 cidades devem ter seus sistemas de aquecimento a carvão substituídos por sistemas de energia limpa até o final de 2018.


China aumenta investimento em educação pré-escolar

novembro 21, 2018 12:30 pm Published by Leave your thoughts

O governo chinês tem planos de matricular 85% das crianças pré-escolares do país (com idades entre três e seis anos) até 2020 em jardins de infância certificados. A ideia é que 80% delas deverão estudar em instituições pré-escolares de preço acessível (públicas ou privadas), de acordo com um documento emitido conjuntamente pelo Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e pelo Conselho de Estado.

O investimento da China em educação pré-escolar também pode ser observado em outros planos de ação. Um exemplo disso está nos planos do país de formar anualmente, até 2020, mais de 200 mil estudantes universitários em educação pré-escolar e treinar 1,5 milhão de diretores e professores nessa área. Até 2035, a educação pré-escolar, com três anos de duração, deverá estar disponível para todas as crianças com idade apropriada.

Segundo o documento divulgado, o investimento nessa área da educação, especialmente nas regiões rurais mais atingidas pela pobreza, buscará fazer com que os professores tenham melhor formação e que os jardins de infância sejam supervisionados com mais eficiência. Governos de todos os níveis estão sendo encorajados a estabelecer mais jardins de infância público. Cada município deve ter ao menos um jardim de infância público, com filiais nos maiores vilarejos.

Comunidades, vilarejos, empresas estatais e instituições públicas como universidades também estão sendo incentivadas a estabelecer os seus próprios jardins de infância. As crianças de famílias com dificuldades financeiras, além das crianças órfãs ou portadoras de deficiência, irão receber apoio financeiro para assegurar a sua educação pré-escolar. Os jardins de infância privados, por sua vez, serão divididos em duas categorias: os lucrativos e os sem fins lucrativos.