Autor: Administrador

China é destaque em conferência mundial sobre vinho

julho 17, 2019 5:30 pm Published by Leave your thoughts

O 42º Congresso Mundial da Vinha e do Vinho teve início nesta semana, trazendo cerca de 500 especialistas de todo o mundo para discutir a sustentabilidade na produção e no consumo de vinho. Entre os palestrantes, além de especialistas de áreas tradicionalmente associadas a vinhedos, como a França, a Espanha e a Itália, estão grandes nomes vindos de países como o Japão, a Bolívia e a China.

O tema da conferência, que foi organizada pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), é “Preservação e inovação: Expectativas no nível ambiental, econômico e social”.  Pau Roca, diretor-geral da OIV, afirmou que a Espanha continua sendo o principal país para a área cultivada, com 969 kha, seguida da China (875 kha) e da França (793 kha). “A área de viticultura chinesa continuou a aumentar em 10 kha entre 2017 e 2018”, afirmou ele, observando que os chineses também estão consumindo mais vinho.

Roca também ressaltou que apesar de a China ter tido uma queda de 11% na produção de uva em 2018, ela ainda é o maior país produtor, com 11,7 milhões de ton (mt), o que representa 15% da produção mundial da fruta. Ela é seguida da Itália (8,6 mt), Estados Unidos (6,9 mt) e França (5,5 mt). Já os países de maior consumo de vinho, os EUA estão em primeiro lugar, com 33 milhões de hectolitros (mht), seguidos pela França (26,8 mhl); Itália (22,4 mhl); Alemanha (20 mhl) e China (17,9 mhl).

Entre os temas abordados pelo congresso, estão as mudanças climáticas, às quais os vinhedos são muito sensíveis, assim como o desenvolvimento de produtos e formas de proteger as videiras. A OIV é uma organização intergovernamental de natureza científica e técnica de reconhecida competência para as suas obras relativas a vinhas, vinho, bebidas à base de vinho, uvas de mesa, uvas passas e outros produtos à base de vinha.


Mourão fala sobre importância da parceria com a China

julho 17, 2019 4:00 pm Published by Leave your thoughts

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, falou sobre a importância das relações Brasil-China e prometeu reforçar os laços bilaterais entre os dois países durante uma entrevista coletiva realizada na última segunda-feira (15). “Ninguém, hoje, pode prescindir de negociar com a China. São quase 1,4 bilhão de habitantes. Costumo dizer que, se 700 milhões deles consumirem US$ 10 por dia, é um mercado do tamanho da União Europeia e Mercosul. Ninguém pode fugir de comerciar com a China”, ressaltou.

Sobre a contribuição brasileira para essa parceria, Mourão lembrou que o governo chinês “tem que garantir a alimentação e o trabalho para cada um dos habitantes” e que “nós podemos auxiliar nessa questão da segurança alimentar da China”.

Quando foi perguntado sobre sua recente viagem na China, ele disse que sua tarefa, além de reativar a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), ele tinha como objetivo entregar uma mensagem política do governo do presidente Jair Bolsonaro “de forma a inibir possíveis dúvidas que possam ter ocorrido durante a campanha eleitoral”, em uma alusão a declarações do então candidato Bolsonaro contrárias ao alto volume de comércio com o país asiático.

“Nós não podemos, em nenhum momento, desprezar e sair fora dessa relação com a China, que é nosso maior fluxo comercial. No ano passado, esse fluxo foi de US$ 100 bilhões”, enfatizou o general. “Então, obviamente nós estamos trabalhando direto com os chineses. Eles estão aqui dentro do Brasil buscando participar das licitações e concessões que vão ocorrer nos projetos ligados ao PPI (Programa de Parceria em Investimentos) e outros projetos da área de infraestrutura”.

Sobre a questão da Huawei, Mourão assegurou que não há nenhum bloqueio à atuação da empresa chinesa. “A Huawei está no Brasil há dez anos e trabalha direto com nossa universidade da região de Santa Rita do Sapucaí, que eu chamo de nosso vale do silício”. Ele ainda lembrou que “o próprio Estados Unidos fez agora uma revisão sobre a situação da Huawei”.

Questionado sobre como Brasil e China podem atuar para fortalecer o multilateralismo e aproveitar organismos existentes, como o BRICS, para ajudar a construir uma nova ordem mundial, o vice-presidente disse que é necessário “muita conversa e muita negociação” para que cada país possa preservar seus ganhos.

“Nós temos que saber lidar com esse mundo diferente, distinto e sempre com aquelas duas palavrinhas chaves na relação entre dois países: benefícios mútuos. Sempre buscar uma relação em que haja ganho para os dois. Se só um ganha, não é bom pra ninguém”, destacou o general.


Robô de inteligência artificial tem exposição de arte em Pequim

julho 17, 2019 2:31 pm Published by Leave your thoughts

O Museu de Arte da Academia Central de Belas Artes de Pequim está recebendo uma exposição de obras de arte criadas por um robô de inteligência artificial. Aberta desde o dia 13 de julho, a exposição “Mundos Alternativos” fica em cartaz até o dia 12 de agosto. De acordo com uma entrevista que Qiu Zhijie, curador da mostra, deu ao jornal China Youth Daily, o nível artístico do robô é comparável ao de um aluno de pós-graduação de belas artes.

“Ao invés de cópias de obras já existentes, as pinturas são 100% originais”, afirmou Li Di, vice-diretor do Centro Asiático de Tecnologia de Pesquisa da Microsoft baseado em Pequim, local onde o artista-robô foi desenvolvido. Nos últimos 22 meses, um banco de dados com mais de 5 mil obras feitas por 236 renomados artistas nos 400 anos de história da arte foi transferido para o robô, que usando esse acervo, consegue criar obras originais para exposições artísticas.


A apimentada culinária de Sichuan

julho 17, 2019 9:00 am Published by Leave your thoughts

A verdejante província de Sichuan é conhecida como “Reserva da Natureza” por sua abundância de alimentos e recursos naturais, com iguarias das montanhas, peixes de água doce, animais e aves, legumes e vegetais e brotos de bambu, assim como uma variedade de cogumelos e outros fungos. Com esta grande gama de ingredientes, o povo de Sichuan adora os gostos fortes e apimentados.

Sichuan tem uma das quatro principais culinárias chinesas tradicional. E há muitas variações locas dentro da Província e da vizinha Municipalidade de Chongqing, junto ao rio Yang-Tsé, cada uma com seus pratos característicos e sabores típicos, entre eles, os pratos de Meisha, muito populares. Chengdu, a capital da província de Sichuan, ganhou da Unesco o título de “cidade de gastronomia”, em reconhecimento à sua culinária.

Pimenta malagueta, picles e pasta de fava apimentada são ingredientes essenciais da cozinha de Sichuan. No reinado do imperador Kangxi no início da dinastia Qing (1644-1911), a pimenta malagueta começou a ser muito plantada e usada na culinária de Sichuan. Mais tarde, com a criação da pasta de fava apimentada, a moderna cozinha de Sichuan começou a ganhar forma. Entre os diferentes tipos de pasta de fava, a mais famosa é o molho de fava Pixian, com 24 variedades de sabores.

A culinária de Sichuan tem caraterísticas variadas: pode ser do tipo que causa formigamento e dormência, apimentada, fresca e aromática, às vezes com um gosto doce, de guisado, representado por pratos renomados, como a carne de porco desfiada com pimenta de soja, o frango kung pao, os filés de peixe ao óleo de pimenta malagueta, a carne bovina fatiada com órgãos de boi em molho de pimenta malagueta, o frango xadrez apimentado, o tofu mapo, e as fatias de carne de porco de duplo cozimento.

Outro aspecto da culinária de Sichuan é que ela aprendeu com outras culinárias durante seu longo desenvolvimento. As características das culinárias chinesas costumam depender das condições geográficas e recursos naturais, e grandes rios com abundantes espécies de peixe são uma fonte para novos estilos culinários. A culinária de Sichuan e a culinária de Jiangnan originam-se do rio Yang-Tsé, o que facilita a integração desses dois ramos culinários.

Receita

A carne de porco desfiada com pimenta e soja é um prato comum em Sichuan. Embora seu nome chinês Yuxiangrousi indique sua conexão com yu (peixe), o prato não tem nada a ver com peixe, mas é cozido com vários temperos. Seu sabor único e a técnica de cozimento fazem dele um dos sabores tradicionais mais conhecidos da culinária de Sichuan. Para prepara-lo, corte o filé de carne de porco assim como as cenouras, brotos de bambu e fungos pretos em tiras. Acrescente um pouco de vinho de cozinha, amido, sal e óleo vegetal às tiras de carne e depois deixe marinar meia hora. Para fazer a mistura do molho agridoce aromatizado (ou com aroma de peixe), primeiro pique cebolinha, gengibre e alho; acrescente uma colher de chá de sal, uma de amido, três de molho de soja, quatro de açúcar branco, quatro de vinagre, e cinco colheres de chá de água. Despeje as tiras de carne marinadas numa frigideira quente, e dê uma fritura rápida, até que a cor fique branca; baixe de fogo alto para médio, acrescente o molho de fava Pixian e frite até que o óleo da pimenta malagueta vermelha aflore. Acrescente a cenoura em tiras, os brotos de bambu e os fungos pretos, frite bem, e então despeje o molho com sabor de peixe, dê uma fritura rápida por cerca de um minuto e coloque numa travessa para servir.

Tradicionais restaurantes recomendados

Meizhou Dongpo: Kuanzhai Alley, 38, Qingyang, distrito da cidade de Chengdu, província de Sichuan

Three Ears Hotpot: Nijiaqiao Road, 10, distrito de Wuhou da cidade de Chengdu, província de Sichuan

Gugu Banquet: Wuhou Memorial Temple Street 12, distrito de Wuhou da cidade de Chengdu, província de Sichuan


Expectativa de vida das mulheres cresce em Pequim

julho 16, 2019 7:29 pm Published by Leave your thoughts

A expectativa de vida média das mulheres em Pequim, capital da China, subiu para 84,63 anos em 2018, o que representa um aumento de 12,37 anos em comparação com 40 anos atrás, segundo relata o jornal Beijing Youth Daily. Estatísticas da Comissão Municipal de Saúde de Pequim mostram que a taxa de mortalidade materna diminuiu 68% em 2018 em comparação a 1979, enquanto a taxa de mortalidade infantil caiu 88%.

Em 2018, as taxas de mortalidade infantil e de crianças menores de cinco anos da população cadastrada da cidade caíra, para 2,01 e 2,69 a cada mil nascimentos, respectivamente, atingindo o nível dos ditos países desenvolvidos.

Ao mesmo tempo, a prevenção e o tratamento de defeitos congênitos também alcançaram resultados notáveis no último ano. A taxa de defeitos relacionados ao tubo neural passou de 1,01 a cada mil nascimentos, em 2011, para 0,67 a cada mil nascimentos em 2018. A taxa de defeitos congênitos graves, por sua vez, caiu por oito anos consecutivos, o que resultou numa prevenção de mais de 70% dos defeitos congênitos.

Pequim tomou, em 2018, uma série de medidas para melhorar os serviços médicos e reduzir os riscos de defeitos congênitos, como o estabelecimento de centros de emergência, a oferta de serviços de exames médicos e a divulgação de conhecimentos sobre saúde em grande escala, pelo que afirmou o jornal.


Cresce a exportação de café brasileiro para a China

julho 16, 2019 5:00 pm Published by Leave your thoughts

Durante os cinco primeiros meses de 2019 as exportações de café brasileiro para a China cresceram 23,1%, em relação ao mesmo período no ano anterior, de acordo com o Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé) do Brasil. Foram exportadas para a China 88.179 sacas de café nesse período de janeiro a maio, pelo que afirmou o conselho.

O presidente do Cecafé, Nelson Carvalhães, falou em entrevista à Xinhua sobre a importância dos jovens consumidores asiáticos e o interesse do Brasil em aumentar as suas vendas do produto na China. “A abertura de cafés estimula os jovens a consumir o café de várias maneiras”, disse ele, se referindo ao rápido desenvolvimento das redes Luckin Coffee e Starbucks nas cidades chinesas.

Com essa oportunidade, Carvalhães disse que os setores públicos e privados do Brasil estão buscando desenvolver mercados na China. “Sem dúvida queremos crescer no mercado de nosso parceiro comercial”, disse o executivo, acrescentando que “o Brasil pode oferecer o volume e a qualidade capazes de satisfazer as demandas de diferentes mercados”.

O Brasil detém 38% do mercado global cafeeiro, com 300 mil produtores, o que faz do país sul-americano o principal produtor e o maior exportador de café do mundo. De 2018 até junho de 2019, durante o período de safra, o Brasil exportou 41,1 milhões de sacas de café, 35% a mais face ao ano anterior.


China reduzirá resíduos usando embalagens ecológicas

julho 16, 2019 3:26 pm Published by Leave your thoughts

As autoridades postais da China estão planejando entrar na batalha contra o lixo que o país vem travando, especialmente após a implementação do novo sistema de separação do lixo. Para isso, ocorrerão mudanças em uma das maiores produtoras de resíduo: a indústria da entrega expressa.

A Administração Estatal dos Correios (AEC) afirmou que para diminuir a utilização de papel, 95% das embalagens de encomendas usarão rótulos eletrônicos até o fim do ano. Além disso, ela promete reduzir a embalagem excessiva em e-commerce e o aumentar do uso dos materiais amigáveis ao meio ambiente para os pacotes.

A indústria florescente de e-commerce da China leva comidas e produtos de consumo diário às portas dos consumidores só em pouco dias ou até mesmo em horas. Apesar da praticidade, uma montanha de embalagens é produzida durante o processo, o que ameaça cada vez mais o ambiente. Em 2018, o setor de entrega expressa da China processou 50,7 bilhões de encomendas, o que representa um aumento de 26,6% em comparação ao ano anterior, disse a AEC.

Para atenuar a pressão sobre o meio ambiente, as companhias expressas são encorajadas a reutilizar as caixas de encomenda, a reduzir embalagens supérfluas e a usar materiais biodegradáveis para o empacotamento. Segundo a AEC, estas iniciativas de embalagem verde pouparão 207 milhões de sacos plásticos descartáveis por ano.


Fabricação de papel tradicional em combinação com a inovação cultural

julho 16, 2019 10:30 am Published by Leave your thoughts

Um papeleiro seca papel com técnicas tradicionais na aldeia de Shiqiao, condado de Danzhai, no sudoeste da província de Guizhou, em 1º de julho de 2019. A aldeia de Shiqiao é famosa pelo patrimônio cultural intangível nacional. Nos últimos anos, os papeleiros locais combinaram as técnicas tradicionais com a inovação cultural, fazendo o artesanato antigo um destaque no turismo.

 


5G deverá criar novas formas de negócios

julho 16, 2019 9:00 am Published by Leave your thoughts

A tecnologia 5G colaborará para o desenvolvimento de muitas novas formas de negócios, que atualmente são inimagináveis, da mesma forma que o 4G foi necessário para os sistemas de pagamento móvel e de vídeos 4G, segundo afirmou um especialista durante a Conferência de Internet da China 2019, que aconteceu na última semana.

“Combinando as abordagens como a transferência de dados para nuvem e a virtualização, o 5G dará início a uma inovação geral da tecnologia de rede”, disse Wu Hequan, acadêmico da Academia Chinesa de Engenharia e presidente da Sociedade de Internet da China. Ele, que presidiu a conferência, ainda disse que a combinação do 5G, da realidade virtual (RV) e da realidade aumentada (RA) será amplamente utilizada nas áreas de vídeo, turismo e assistência médica, entre outros setores.

Wu afirmou que com essas tecnologias, um médico será capaz de realizar um procedimento cirúrgico em menos tempo, por exemplo. Outras vantagens do 5G, como um menor delay e uma alta velocidade de banda larga, também serão muito úteis em aplicações industriais e redes automobilísticas, acrescentou ele.


Radiotelescópio FAST buscará “novos mundos” fora do sistema solar

julho 15, 2019 5:00 pm Published by Leave your thoughts

Astrônomos chineses e franceses publicaram um plano ambicioso de observação usando o Radiotelescópio Esférico de 500 metros de Abertura (FAST, na sigla em inglês) na revista acadêmica Research in Astronomy and Astrophysics. Além de buscar sinais de vida extraterrestres, o plano propõe que o radiotelescópio, que é o maior e mais sensível do mundo, busque planetas extrassolares (exoplanetas) com campo magnético semelhante ao da Terra, a até 100 anos-luz dela.

Li Di, pesquisador nos Observatórios Astronômicos Nacionais da Academia Chinesa de Ciências e cientista-chefe do FAST, disse que os cientistas estão mais interessados em planetas habitáveis, que devem ter não apenas água, temperatura e atmosfera adequadas, mas também um campo magnético. Philippe Zarka, astrônomo do Observatório de Paris, disse que os planetas são os lugares mais favoráveis para a vida. Até o momento já foram descobertos cerca de 4 mil exoplanetas.

Existem seis planetas magnetizados no sistema solar com um campo magnético de escala planetária: Mercúrio, Terra, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. “No nosso sistema solar, planetas magnetizados são fortes fontes radioelétricas. A detecção radioelétrica dos exoplanetas tem como objetivo a caracterização física dos exoplanetas e estudos comparativos com planetas do sistema solar”, disse Zarka.