Autor: Administrador

Xi Jinping pede esforços para aprimorar a prevenção de desastres na China

outubro 15, 2018 12:00 pm Published by Leave your thoughts

Cidade de Yangchun, província de Guangdong, após o super tufão Mangkhut

Xi Jinping, secretário geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e presidente da China pediu esforços para melhorar a capacidade do país de se proteger contra desastres naturais e para realizar o planejamento e a construção da via férrea Sichuan-Tibete. As declarações foram feitas durante a terceira reunião do Comitê Central para Assuntos Financeiros Econômicos, do qual também é diretor.

“Como uma capacidade mais forte de proteção contra desastres naturais diz respeito à economia e ao sustento do povo, a China estabelecerá um sistema eficiente e científico e melhorará a capacidade da sociedade inteira para proteger a vida e a propriedade do povo e a segurança do país”, afirmou Xi.

A China é um dos países mais propensos a desastres naturais do mundo, o que fez com que esse assunto ganhasse muita importância e alcançasse progresso. Apesar disso, a capacidade de responder a condições extremas ainda precisa ser muito aprimorada, de acordo com o que foi debatido na reunião.

Para lidar com esse problema, o país pretende construir um sistema coordenado de respostas a desastres, adotar uma abordagem centrada do povo e priorizar o meio ambiente, além de fazer o possível para minimizar as consequências, impulsionar reformas e inovações de modernização e continuar cooperando internacionalmente.

Diversos projetos importantes serão promovidos, como a restauração ecológica de florestas, pastagens e rios; a proteção litorânea com a construção de paredões ecológicos na costa marítima; reforço de moradias nas áreas propensas a terremotos; o monitoramento de desastres naturais e advertência antecipada, entre outros.

O presidente chinês também falou a respeito da ferrovia Sichuan-Tibete, ressaltando que o projeto tem um significado profundo para a estabilidade a longo prazo do país e para o desenvolvimento do Tibete. Foi enfatizado que a ferrovia deverá promover a solidariedade étnica, salvaguardar a unidade nacional, consolidar a estabilidade da fronteira e impulsionar tanto o progresso econômico quanto social do Tibete.


Exportações de Taiwan para a China continental crescem

outubro 15, 2018 11:00 am Published by Leave your thoughts

As exportações de Taiwan para a parte continental da China, incluindo a Região Administrativa Especial (RAE) de Hong Kong, tiveram crescimento nos primeiros três trimestres deste ano. Segundo as autoridades de finanças da ilha, entre janeiro e setembro de 2018, as exportações aumentaram 10,5% quando comparadas ao mesmo período de 2017, tendo alcançado o valor de US$ 102,83 bilhões.

As exportações totais de Taiwan no período analisado tiveram aumento de 8,1%, atingindo US$ 250,1 bilhões, enquanto as importações cresceram 11,9%, chegando a US$ 213,42 bilhões. As exportações da ilha para os EUA, Europa e Japão também cresceram, respectivamente, 6,9%, 9,9% e 11,4%. Além disso, as exportações para a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) tiveram alta de 0,8% em relação aos nove primeiros meses de 2017.

Apenas no mês de setembro, as exportações de Taiwan tiveram a maior alta mensal de todos os tempos, atingindo US$ 29,62 bilhões após crescerem 2,6% em relação a 2017. Apesar disso, as exportações de componentes eletrônicos, que são o principal artigo de exportação da ilha, caíram 0,5%, passando para US$ 10,12 bilhões.


China e países na Iniciativa Cinturão e Rota reforçarão proteção a relíquias culturais

outubro 15, 2018 10:00 am Published by Leave your thoughts

A China irá reforçar a cooperação em termos de proteção de relíquias culturais com os países e regiões que participam da Iniciativa Cinturão e Rota, de acordo com uma diretriz publicada pelo escritório geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e o Conselho de Estado.

O documento inclui uma série de medidas que têm como objetivo melhorar significantemente os padrões de proteção do patrimônio cultural da China e continuar impulsionando o papel da cultura chinesa na economia até 2025.

A diretriz assinala que a China trabalhará com outros países para solicitar a inclusão dessas relíquias nas listas mundiais de patrimônio cultural, a realização de estudos arqueológicos, a construção de instalações de antiguidades culturais e para levar mais relíquias culturais de alta qualidade ao estrangeiro para exibi-las, com o intuito de difundir a cultura chinesa.

Um projeto de cinco anos, sobre a proteção e o uso do patrimônio cultural dos tempos revolucionários será lançado até 2022, com o objetivo de preservar e inspirar o espírito revolucionário da China.

Por outro lado, a diretriz pede que os governos locais estabeleçam uma moratória sobre o uso de qualquer terra que possa conter relíquias culturais enterradas. Antes que os levantamentos arqueológicos e as operações de escavação sejam concluídos, as terras envolvidas não devem ser exploradas.


Xinjiang recicla filme plástico agrícola para reduzir a poluição branca

outubro 15, 2018 9:10 am Published by Leave your thoughts

A produção agrícola com filme plástico, apesar de ter um custo mais baixo, vem sendo a causa de poluição branca em diversas e vastas áreas rurais da China, mas a Região Autônoma Uigur de Xinjiang parece ter encontrado uma solução para esse problema na reciclagem. O departamento regional de agricultura informou que foram estabelecidas 42 estações de reciclagem para lidar com os lixos plásticos gerados pelo cultivo em Xinjiang.

A nova tecnologia de reciclagem permitiu que mais de 60% dos materiais plásticos agrícolas da região pudessem encontrar uma nova vida e ser reutilizados. O departamento ainda acredita que em dois anos, a taxa de reciclagem ultrapassará 80%. Xinjiang tem promovido o uso de filme plástico nos campos para que a terra continue quente e com umidade preservada desde o final dos anos de 1970 nas plantações de milho, algodão e verduras. Essa prática permite o cultivo eficiente em água, além de aumentar a lavoura de cereais, mesmo em condições desfavoráveis de solo.

O departamento de agricultura de Xinjiang afirmou que materiais plásticos de cultivo são usados em aproximadamente 3,3 milhões de hectares de terras cultiváveis e cobrem mais de 30 variedades de cultivo. Para lidar com as consequências negativas dessa prática agrícola, o governo regional ainda emitiu em 2016 uma regra com padrões para a produção, venda e uso de filme plástico agrícola.


Fonte: Xinhua

China cria projeto para preservar línguas e dialetos em risco de extinção

outubro 11, 2018 2:00 pm Published by Leave your thoughts

Cerca de 40% das línguas existentes no mundo estão em risco de extinção, sendo que muitas deles são faladas apenas entre idosos. Na China, uma conferência internacional sobre proteção de diversidade linguística debateu esse assunto, alertando sobre a necessidade de ensinar os jovens a falarem línguas e dialetos que correm esse risco para poder preservá-los. “As línguas e dialetos estão desaparecendo a uma velocidade rápida, por isso estamos correndo contra o tempo para salvá-los”, afirmou Cao Zhiyun, diretor do Centro para a Proteção de Recursos Linguísticos da China.

Para proteger essas línguas, existe um projeto cuja prioridade é, por meio de trabalho de campo, realizar a recolha em grande escala de recursos linguísticos, investigar a situação atual das línguas ameaçadas e registrar e guardar o seu corpus. No entanto, essa não é uma tarefa fácil, uma vez que a maioria das línguas ameaçadas está espalhada nas áreas remotas ou montanhosas, de difícil acesso. Além disso, muitas delas são faladas apenas por um punhado de pessoas, o que torna o seu registro quase impossível.

Os especialistas estrangeiros que participaram da conferência compartilharam com os chineses as suas próprias experiências. O kalam, por exemplo, língua de uma minoria étnica na Lituânia quase extinta, foi recuperada graças à iniciativa de membros da comunidade de escrever livros de história, manuais e dicionários no idioma, o que permitiu que, gradualmente, a língua fosse revivida.

Cao ainda disse que as tecnologias modernas, como reconhecimento e síntese da fala de Inteligência Artificial, podem ser usadas para preservar melhor as línguas e dialetos. “Mandarim pode te levar mais longe, mas o seu dialeto diz de onde você vem”, ressaltou Wang Han, um conhecido apresentador de TV e conselheiro do Centro.


Fonte: Xinhua

Ópera “Longa Marcha” retornará a Pequim em novembro

outubro 11, 2018 1:10 pm Published by Leave your thoughts

Pequim receberá de volta a ópera “Longa Marcha”, que estará em cartaz no Centro Nacional de Artes Performáticas (NCPA, na sigla em inglês) entre os dias 6 e 8 de novembro. Dedicada à épica Longa Marcha, liderada pelo Partido Comunista da China (PCCh), a ópera de seis atos produzida originalmente pelo NCPA estreou em julho de 2016, como uma homenagem ao 80° aniversário de vitória do acontecimento histórico chinês. Além da “Longa Marcha”, o NCPA já produziu outras 10 óperas com temas nacionais da China.

A Longa Marcha foi uma manobra militar realizada pelo Exército Vermelho de Trabalhadores e Agricultores, sob a liderança do PCCh, entre os anos de 1934 e 1936. Durante esse período, os soldados partiram de suas bases e marcharam por perigosos rios, montanhas cobertas de neve e pradarias áridas para quebrar o cerco contra Kuomintang e prosseguir na batalha contra invasores japoneses, sendo que alguns soldados chegaram a marchar 12,5 mil km.


Fonte: Xinhua

China cria robô de reabilitação de membros inferiores

outubro 11, 2018 12:20 pm Published by Leave your thoughts

Um robô de reabilitação de membros inferiores foi desenvolvido pela empresa chinesa Avicrobot e deverá ser colocado em uso clínico em breve, segundo informações divulgadas no jornal China Science Daily.  A Avicrobot,  uma empresa de alta tecnologia cujo foco é exatamente o desenvolvimento de robôs de serviço, é uma subsidiária da Aviation Industry Corporation of China.

O gerente-geral da empresa, He Chen, afirmou que esse robô une tecnologias de aviação com o tratamento tradicional de reabilitação e que ele pode monitorar os pacientes em tempo real, o que otimiza a terapia de recuperação. 25% mais barato do que os robôs importados, ele também usa materiais compostos flexíveis e tecnologias de impressão 3D, o que permite que sejam personalizados pelos pacientes, podendo ser utilizado para sentar, ficar em pé e andar.

O robô possui direitos de propriedade intelectual completamente independentes, incluindo a aparência, o método de controle e o desenho de software. Para desenvolvê-lo, a Avicrobot colaborou com o Xijing Hospital, na cidade de Xi’an, sendo que eles lançaram conjuntamente um centro de pesquisa de robô de reabilitação, com o objetivo de fornecer mais suporte de dados para esses tipos de robôs.


Inaugurada nova linha de trem que conecta a China à Europa

outubro 11, 2018 11:00 am Published by Leave your thoughts

Uma nova linha de trem de carga que conecta a China à Europa foi inaugurada nesta semana, ligando a Delingha, na província de Qinghai, a Barnaul, na Rússia. O percurso, que cobre 4.345 km leva aproximadamente 12 dias para ser percorrido  e passa pelo Cazaquistão, quando o trem deixa a China pela passagem de Alataw. O primeiro trem que utilizou a linha levava contêineres com produtos químicos.

Delingha fica na sub-Região Autônoma tibetana-mongol de Haixi, mais precisamente na bacia de Qaidam, a mais alta da China, no Planalto Qinghai-Tibete, abundante em recursos minerais. Quatro rotas de trem de carga foram inauguradas desde 2016 na província, o que ajudou a impulsionar a competitividade internacional de produtos locais.

Em agosto, os trens de carga China-Europa atingiram a marca de 10 mil viagens, feitas desde março de 2011. Até o dia 30 de junho, os serviços de trem de carga ligavam 48 cidades chinesas a 42 cidades europeias.


Fonte: Xinhua

Exposição antiguerra realizada na China atrai mais de 200 mil visitantes

outubro 11, 2018 9:43 am Published by Leave your thoughts

Uma exibição de esculturas chamada Mother’s Cry for Peace (Grito da Mãe pela Paz) em cartaz na China desde meados de maio, já atraiu mais de 200 mil visitantes. Com um total de 42 obras da artista australiana Diana Williams, a exibição foi realizada no Museu Cerâmico da China, em Jingdezhen (cidade conhecida como “capital da cerâmica” da China).

As esculturas de Williams demonstram a crueldade da guerra, como na obra de uma senhora grávida encostada a uma bomba gigantesca com um bebê engatinhando sobre o artefato. A artista de 64 anos, que há 14 anos foi para Jingdezhen para estudar com o mestre ceramista Liu Yuanchang, afirmou ter sido parcialmente inspirada pelo envolvimento da Austrália na Guerra do Iraque.

Williams ainda disse que suas obras refletem sobre o significado da vida e da guerra trazendo um contraste entre as imagens de mães e seus bebês e do horror da guerra. “Esta exibição é uma apresentação do que aprendi nos últimos 14 anos e é o meu presente para a cidade”, acrescentou a artista, dizendo que pretende exibir seus trabalhos em outras cidades chinesas nos próximos anos.


PUC-Minas sedia evento que aborda as relações entre Brasil e China

outubro 10, 2018 1:00 pm Published by Leave your thoughts

As relações do Brasil com a China serão o assunto do I Encontro da Rede Brasileira de Estudos da China – RBCHINA, que é parte do IV Seminário Internacional das Potências Médias e acontecerá em Belo Horizonte nos dias 22 e 23 de outubro. Com o tema “Brasil e China num contexto de incertezas mundiais”, o evento será sediado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas) e tem como objetivo despertar o interesse de estudantes brasileiros nesse campo de pesquisa.

Desde o início do século XXI, as relações entre os dois países se intensificaram e se expandiram para diversas áreas, como política internacional, comércio, intercâmbios culturais, científicos e acadêmicos. A China também é há 9 anos a principal parceira comercial do Brasil, o que torna o tema do evento ainda mais atual e necessário.

O evento contará com especialistas brasileiros e chineses de diferentes campos de atividade, que irão discutir os papeis do Brasil e da China na política internacional, os desafios impostos pelo novo cenário econômico mundial, as transformações políticas e sociais recentes da China, os múltiplos aspectos das relações sino-brasileiras e ainda alguns componentes essenciais da filosofia e da cultura chinesas.

Distribuídas entre os dois dias de evento, quatro mesas principais comporão o encontro, sendo elas: “Economia, Comércio e Finanças”; “Ciências Sociais e Relações Internacionais na China Contemporânea”; “Desafios e Oportunidades para a Relação Brasil-China” e “Filosofia e Cultura da China”. O evento conta com o apoio da Embaixada da China no Brasil e da Associação de Amizade do Povo da China com os Países Estrangeiros, entidade vinculada ao Ministério de Relações Exteriores da República Popular da China.