Autor: Administrador

Escultura de cabeça de cavalo é repatriada à China

novembro 14, 2019 5:00 pm Published by 1 Comment

Uma escultura de cabeça de cavalo feita de bronze irá retornar ao Yuanmingyuan, também conhecido como Antigo Palácio de Verão, pelo que informou a Administração Nacional do Patrimônio Cultural da China (ANPCC). Essa é a primeira cabeça de animal que será repatriada à sua localização original

Durante o reinado do imperador Qianlong (Dinastia Qing), doze esculturas de cabeças de animais formavam um relógio aquático do zodíaco no conjunto arquitetônico Yuanmingyuan, e Pequim. As peças originais foram roubadas do jardim real pelas forças aliadas anglo-francesas durante a Segunda Guerra do Ópio, em 1860.

A cabeça de cavalo, desenhada pelo artista italiano Giuseppe Castiglione e feita por artesãos reais, é uma mistura do Oriente com o Ocidente. O bilionário de Macau, Stanley Ho, comprou a cabeça de cavalo num leilão em 2007 e a exibiu publicamente em Hong Kong e Macau por muitos anos. Nesse mês, ele decidiu doar a peça à ANPCC para que ela retorne à sua casa original no palácio. 

Graças aos esforços das autoridades governamentais e das forças do país, sete das 12 esculturas perdidas foram trazidas de volta à China, enquanto as outra cinco continuam desaparecidas. A escultura de cabeça de cavalo, junto das outras seis cabeças e relíquias de animais recuperadas, farão parte da atual exposição no Museu Nacional no fim do mês de novembro.


Xi diz que China busca alcançar prosperidade conjunta com o Brasil

novembro 14, 2019 4:00 pm Published by Leave your thoughts

Durante a Cúpula dos Brics, que aconteceu em Brasília nesta semana, o presidente chinês, Xi Jinping se reuniu com o seu homônimo brasileiro, Jair Bolsonaro, e disse que a China confia plenamente na cooperação com o Brasil e que está disposta a alcançar a prosperidade comum com o país sul-americano. Ele mencionou a visita de Estado que Bolsonaro fez à China em outubro e disse que o consenso atingido pelos dois lados está sendo ativamente implementado.

Na 2ª Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, em inglês), encerrada recentemente, o volume de transação dos negócios brasileiros cresceu 3,6 vezes em comparação com a 1ª CIIE, no ano passado, ressaltou Xi, classificando os resultados como satisfatórios. “Como os maiores países de mercado emergente nos hemisférios oriental e ocidental, respectivamente, a China e o Brasil compartilham amplos interesses comuns”, disse o chefe de Estado chinês.

Xi expressou a vontade para trabalhar ao lado de Bolsonaro para manter e guiar adequadamente a direção do desenvolvimento das relações China-Brasil. Ele enfatizou que a China e o Brasil são ambos os grandes países e devem manter foco estratégico, aderir ao respeito mútuo, tratar-se um ao outro como iguais, fortalecer os intercâmbios e cimentar a confiança mútua.

Ele pediu que os dois lados abram os mercados um ao outro e explorem meios para estabelecer canais de fornecimento de longo prazo, estáveis e diretos para os produtos básicos, incluindo produtos agrícolas, minério de ferro e petróleo bruto. A China apoia suas empresas a participar ativamente da construção de infraestrutura no Brasil para promover a conectividade, indicou Xi.

Entre os pedidos de Xi, está o de que ambos os lados aumentem a cooperação em áreas como economia digital, comunicações de nova geração, ciência de materiais e biotecnologia, desejando outro lançamento bem-sucedido do Satélite de Recursos da Terra China-Brasil no próximo futuro, e o de que os dois países promovam conjuntamente a cooperação de acompanhamento.

Xi pediu que ambos os lados aumentem a cooperação em áreas como economia digital, comunicações de nova geração, ciência de materiais e biotecnologia, desejando outro lançamento bem-sucedido do Satélite de Recursos da Terra China-Brasil no próximo futuro, e solicitando que os dois lados promovam conjuntamente a cooperação de acompanhamento. Ele também pediu que ambos os lados expandam os intercâmbios culturais e interpessoais e facilitem os intercâmbios interpessoais.

O presidente chinês disse que ambos os lados devem trabalhar juntos para promover os intercâmbios e a cooperação integrais entre a China e os países latino-americanos, defender o multilateralismo, construir uma economia mundial aberta, e salvaguardar os direitos de desenvolvimento e interesses legítimos dos mercados emergentes. Ele ainda acrescentou que a China apoia o Brasil na organização da próxima Cúpula do BRICS e está disposta a trabalhar com todas as partes para tornar a cúpula um sucesso.

Bolsonaro, por sua vez, disse ter instruído os departamentos relevantes do governo a implementar o mais cedo possível o consenso atingido durante sua visita de Estado à China. Ele observou que a China é um importante grande país e a maior parceira comercial do Brasil, e disse que o povo brasileiro mantém admiração, respeito e sentimentos amistosos em direção ao povo chinês, e que a cooperação Brasil-China tem crescente significado para o desenvolvimento futuro do Brasil.

Ele também disse que seu país dá boas-vindas ao investimento chinês para o Brasil e mais forte cooperação na construção da infraestrutura, minério de ferro e energia, incluindo petróleo e gás. “O lado brasileiro valoriza as importantes oportunidades trazidas pela abertura do mercado chinês”, disse Bolsonaro, expressando a esperança de expandir o comércio bilateral e promover a exportação de mais produtos agrícolas brasileiros para a China.

O Brasil sente-se agradecido pela confiança e amizade da China, disse Bolsonaro, acrescentando que a partir de uma perspectiva de longo prazo, o Brasil dá importância ao fortalecimento da cooperação com a China em uma ampla variedade de áreas, para aprofundar sua amizade tradicional e beneficiar os dois povos.

Depois da reunião, os dois chefes de Estado se reuniram com a imprensa e testemunharam a troca de vários documentos sobre a cooperação bilateral.

Fonte: Xinhua

Agricultores de áreas pobres da China têm grande crescimento em sua receita

novembro 14, 2019 2:00 pm Published by Leave your thoughts

Os residentes de áreas rurais atingidas pela pobreza registraram um grande crescimento na receita disponível durante os três primeiros trimestres do ano. Segundo o Departamento Nacional de Estatísticas (DNE), a receita disponível per capita desses residentes ficou em 8.163 yuans (US$ 1.167), o que representa uma alta de 10,8% quando comparada ao mesmo período no ano passado. Após a dedução de fatores de preço, o crescimento da receita foi de 8%.

A taxa de crescimento das áreas rurais atingidas pela pobreza foi 1,6% superior à dos moradores rurais de todo o país, e 1,9% maior que a média nacional. A receita salarial per capita subiu 12,2% em termos anuais, com uma taxa de crescimento 2,8% acima de todas as áreas rurais, pelo que informou o DNE.

Wu Wei, estatístico sênior do DNE, atribuiu o crescimento estável da renda salarial de agricultores ao aumento de trabalhos rurais contratados nas partes do centro e oeste do país, juntamente com o crescimento estável de salários. A receita operacional líquida per capita nas áreas pobres subiu 6,8%, crescendo 1,3% mais rápido que no ano anterior. A receita da indústria terciária registrou um aumento anual de 11,2%.

A receita do setor agrícola aumentou 3,8% em termos anuais, contrariando a previsão de queda de 3,9% em relação ao ano passado, graças à maior produção de grãos no verão e ao aumento de preços dos produtos de criação de animais. A receita per capita dos agricultores que é proveniente do governo, e inclui pensões, assistência social, subsídios agrícolas e subsídio de subsistência, entre outros, aumentou 15,3% em relação ao mesmo período em 2018.

Nos últimos seis anos, a China tirou 82,39 milhões de moradores rurais da pobreza, sendo que sua população rural pobre diminuiu de 98,99 milhões em 2012 para 16,6 milhões em 2018. O objetivo do país é tirar todos os residentes rurais que vivem abaixo da atual linha de miséria da pobreza e eliminando-a de todos os distritos e regiões até 2020.


China faz aliança para extração de urânio da água do mar

novembro 14, 2019 12:30 pm Published by Leave your thoughts

A China formou uma aliança, que conta com cerca de 20 instituições e universidades de pesquisa, para promover a pesquisa e aplicação da extração de urânio da água do mar, pelo que informou a China National Nuclear Corporation (CNNC), que iniciou o projeto.

A aliança terá como foco o estabelecimento de padrões para a tecnologia e os produtos utilizados no processo de extração. Isso ajudará a acelerar o desenvolvimento das tecnologias essenciais e novos produtos, além de criar plataformas de pesquisa e uma base de teste para a extração de urânio da água do mar para superar obstáculos na aplicação prática.

A água do mar teria 4,5 bilhões de ton de urânio, o que é cerca de mil vezes mais que as reservas terrestres comprovadas, mas a concentração de urânio na água do mar é extremamente baixa, o que faz com que o desenvolvimento de uma tecnologia econômica de extração de urânio seja um grande desafio. Segundo a CNNC, a China fez alguns progressos no desenvolvimento de materiais e equipamentos de absorção para a extração de urânio da água do mar, mas ainda está longe de alcançar um desenvolvimento comercial.


Vendas do Dia dos Solteiros atinge 268,4 bilhões de yuans na China

novembro 14, 2019 11:00 am Published by Leave your thoughts

O site chinês de compras online Tmall teve vendas que atingiram os 268,4 bilhões de yuans (US$ 38,3 bilhões) no Dia dos Solteiros desse ano, que aconteceu na última segunda-feira (11). De acordo com a Alibaba, proprietária do Tmall, a onda de compras na China teve a participação de mais de 22 mil marcas estrangeiras de 200 países e regiões do mundo.

O festival anual de compras online foi lançado pelo Alibaba Group no dia 11 de novembro de 2009, que é um dia comemorado por muitos jovens chineses como o Dia dos Solteiros. As vendas da primeira edição da promoção anual do Tmall totalizaram cerca de 52 milhões de yuans. No ano passado, as vendas da Alibaba no Dia dos Solteiros chegaram a 213,5 bilhões de yuans.


Cúpula do Brics ressalta atual importância do bloco

novembro 14, 2019 9:30 am Published by Leave your thoughts

A 11ª Cúpula dos Brics (bloco que agrupa Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) está acontecendo nesta semana, na cidade de Brasília, e reuniu os presidentes dos seus países-membros. O evento ressalta a importância e a resiliência do Brics, especialmente neste momento em que o mundo discute questões que giram por vezes em torno do multilateralismo, e por outras em torno do protecionismo. 

Os especialistas Evandro Menezes de Carvalho (professor da FGV-Rio e editor da China Hoje) e Oliver Stuenkel (professor da FGV-SP) compartilham a ideia de que o Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) é uma instituição que atesta o trabalho prático e conjunto dos países-membros.

“O grupo Brics tomou uma dimensão institucional de relações entre países do Sul Global. Não só oferece uma plataforma para institucionalizar tais relações, como estabelece laços entre governos onde não havia interlocução”, afirma Stuenkel. Para ele, os Brics permitiram que não só presidentes e chanceleres, mas também ministros da economia, educação e outros, pudessem dialogar regularmente sobre desafios internos e sobre como fortalecer laços.

“O grande avanço certamente é o NBD, mas o fato de o grupo se manter coeso mesmo com mudanças de governo, como na Índia e no Brasil, mostra quão forte ele é. Se transformou em consenso no Brasil”, explica Stuenkel.

Para Carvalho, a continuidade do Brics e o início da segunda década de existência do bloco indicam a relevância do mecanismo para os cinco países que dele fazem parte, mesmo diante de obstáculos internos ou derivados da atual conjuntura internacional de crise econômica e diplomática.

“O ceticismo que os países ocidentais tinham em relação ao Brics dá lugar a uma dúvida, com certa contrariedade, de que o Brics veio para ficar. A criação do NDB e seus desdobramentos com a criação dos Centros Regionais da África e para as Américas evidenciam que a plataforma informal do Brics foi capaz de criar uma organização internacional e, no caso, um banco. Então estes dois fatos, a continuidade e o NDB, mostram que o Brics pode ser um vetor importante de transformação da ordem internacional de modo a admitir maior participação de países não-ocidentais, esclarece Carvalho.

Em relação à Cúpula deste ano, Carvalho acredita no destaque do comércio intra-Brics, uma vez que o setor tem peso significativo. “É preciso estimular que os outros países ampliem as relações comerciais entre eles. Além disso, o intercâmbio entre pessoas segue a mesma tendência e precisa ter um estímulo para que haja maior interação entre os países do Brics. Por fim, no campo da mídia ainda há muito por fazer. A cooperação neste setor é fundamental para que novas visões de mundo possam emergir a partir das notícias sobre as sociedades dos países Brics”, indica Carvalho.

Fonte: Xinhua

Mais de 230 empresas já se inscreveram para 3ª CIIE

novembro 13, 2019 3:30 pm Published by Leave your thoughts

A segunda Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, na sigla em inglês), em Xangai, mal terminou e já estão abertas as inscrições para a terceira edição do evento, que deverá acontecer no ano que vem. Segundo os organizadores do evento, mais de 230 empresas de todo o mundo já se inscreveram e a área combinada pré-ordenada ultrapassa os 84 mil m².

Sun Chenghai, vice-diretor do escritório da CIIE, disse durante o encerramento da 2ª CIIE que entre essas empresas estão mais de 80 companhias da Fortune Global 500 e líderes industriais, com um espaço de exposição total de mais de 50 mil m².


Medicina Tradicional Chinesa é incorporada a sistema médico mundial

novembro 13, 2019 2:00 pm Published by Leave your thoughts

A medicina tradicional chinesa (MTC) está sendo integrada ao sistema médico internacional de maneira rápida, sendo que recentemente 45 novos padrões internacionais para a MTC foram emitidos pelo ISO/TC249, um comitê técnico da Organização Internacional para Padronização (ISO), pelo que informou a Administração Nacional de Medicina Tradicional Chinesa. As autoridades disseram que isso permite que maiores contribuições sejam feitas para a saúde e o bem-estar do ser humano.

Em concordância com as iniciativas do governo chinês, as 62ª e 67ª Assembleia Mundial da Saúde adotaram duas resoluções sobre a medicina tradicional e pediu-se que os estados-membros implementem a Estratégia de Medicina Tradicional 2014-2023 da Organização Mundial da Saúde (OMS). Atualmente a medicina tradicional e complementar está sendo usada em 88% dos estados-membros da OMS.

No início deste ano, a medicina tradicional que se origina da MTC foi incorporada na 11ª revisão da Classificação Internacional de Doenças na 72ª Assembleia Mundial da Saúde. A MTC se espalhou a 183 países e regiões e já é registrada como produtos médicos em países como Rússia, Cingapura e Emirados Árabes Unidos.

O governo chinês assinou acordos de cooperação especializada na MTC com mais de 40 países, regiões e organizações internacionais. Centenas de escolas de MTC podem ser encontradas em mais de 30 países e regiões. A China já enviou equipes médicas, compostas principalmente por especialistas em MTC para 69 países na Ásia, África e América Latina. Mais de 400 praticantes foram mandados para ajudar os países incluindo Tanzânia e Indonésia em prevenção e tratamento de doenças.


Setor da tecnologia é o que mais cria novos milionários na China

novembro 13, 2019 12:30 pm Published by Leave your thoughts

Os empresários da área da tecnologia da China ganharam destaque na capitalização e acúmulo de riqueza no ano de 2018, pelo que mostra um relatório publicado conjuntamente pela UBS e PwC. Dos 56 novos bilionários do país asiático no ano passado, 21% vieram do setor da tecnologia, enquanto apenas sete surgiram no setor imobiliário, indústria que tradicionalmente gera maior riqueza aos empresários chineses.

Harry Qin, parceiro principal de consultoria de gerência de ativos da PwC China, disse que com o crescente impacto da economia digital nas empresas tradicionais, os empresários tecnológicos estão substituindo os gigantes tradicionais como os de manufatura e imobiliária na China. “A riqueza está movendo-se para aqueles que podem adaptar-se à economia digital. Haverá mais bilionários surgindo na economia digital”, assinalou ele.

O relatório define bilionários como aqueles que têm um ativo líquido de mais de US$ 1 bilhão. Nos últimos cinco anos, os empresários chineses se tornaram o segundo maior grupo de bilionários do mundo, sendo que em 2018, o país tinha 325 bilionários, com um patrimônio líquido de US$ 982,4 bilhões.

“O ritmo destacado de criação de riqueza na China é uma oportunidade imensa para o UBS”, indicou Marinha Lui, chefe de gerência de ativos na China do UBS. Ela acrescentou que a companhia está procurando aproveitar as oportunidades geradas pela atual abertura financeira da China.


Presidente Xi pede que humanidade busque sentimentos nobres

novembro 13, 2019 11:00 am Published by Leave your thoughts

O presidente  da China, Xi Jinping, disse durante sua visita à Grécia, em uma reunião com o seu homólogo grego Prokopis Pavlopoulos, que a humanidade deve defender e perseguir sentimentos nobres ao invés do egoísmo que defende a busca de interesses simples. 

Xi afirmou que o povo chinês acredita, desde tempos antigos, em visões e ideias como “não faça aos outros o que não quer que façam a você”, “o mundo é para o público” e “coexistência harmoniosa e pacífica entre diversas nações”. Ele ressaltou que a China nunca procurará a hegemonia e nem aceitará um jogo de soma zero ou de você ganha e eu perco e explicou que o povo de seu país não tem esses genes em sua cultura e não nutre tais ambições.

O desenvolvimento da China sempre foi uma contribuição ao crescimento da força a favor da paz do mundo, acrescentou o presidente chinês.