Autor: Administrador

Cientistas chineses descobrem novo gene para melhorar produção de trigo

maio 19, 2022 12:17 pm Published by Leave your thoughts

Créditos: Xinhua/Xu Suhui

Cientistas chineses descobriram um novo gene que pode aprimorar a produção do trigo através do aumento de sua tolerância à seca e a eficácia no uso de nitrogênio, anunciou a Academia Chinesa de Ciências Agrícolas (CAAS).

Aumentar geneticamente a tolerância à seca e a eficácia no uso de nutrientes permite uma produção sustentável e estável de trigo em áreas onde há escassez de água e baixa fertilidade do solo devido ao aquecimento global e à diminuição de recursos naturais, afirmou Ma Youzhi, da CAAS.

Pesquisadores da CAAS clonaram o gene, usando uma transcrição semelhante a uma variedade de soja resistente ao estresse e o introduziram em duas variedades modernas de trigo de inverno.

A descoberta tem o potencial de contribuir para a segurança alimentar global, melhorando a tolerância à seca e a eficácia no uso de nitrogênio das culturas de cereais, segundo o estudo publicado recentemente na revista Plant Biotechnology Journal.


Arqueólogos encontram dever de casa de 1.300 anos em Xinjiang

maio 19, 2022 12:10 pm Published by Leave your thoughts

O Museu Turpan. (Créditos: Xinhua/Ding Lei)

Como era a vida escolar em Xinjiang, na China, nos tempos antigos? Um documento desenterrado em 1969 no cemitério de Astana em Turpan, no leste de Xinjiang, oferece um vislumbre fascinante.

O documento é um pergaminho de cinco metros, escrito por Bu Tianshou, um estudante de 12 anos em 710 d.C., Dinastia Tang. Bu transcreveu vários capítulos de dois livros — Anotações dos Analectos de Confúcio, de um famoso estudioso Zheng Xuan, e Clássico de mil caracteres, poema para as crianças aprenderem caracteres chineses — ambos eram leituras recomendadas naquela época.

“Curiosamente, ele escreveu um poemeto burlesco no final do pergaminho: O trabalho de casa de hoje está terminado. Professor, por favor, não atrase a aula e nos deixe ir para casa mais cedo. Isso tornou o pergaminho muito mais divertido”, disse Dilinur Maiming, uma docente do Museu Turpan.

As anotações de Zheng Xuan dos Analectos de Confúcio foram perdidas após a Dinastia Tang, mas a cópia de Bu e outros documentos desenterrados em Turpan forneceram informações valiosas para o estudo das obras clássicas do confucionismo, indicou Chen Aifeng, vice-reitor do Instituto de Estudos Turpan.

“A Dinastia Tang estabeleceu um sistema educacional relativamente completo. A maioria dos documentos das anotações de Zheng Xuan dos Analectos de Confúcio desenterrados de cemitérios de Astana são cópias escritas por estudantes, indicando que a educação em Xinjiang durante a Dinastia Tang era influenciada pelo Cultura das Planícies Centrais”, acrescentou Chen.


Academia chinesa de ciência realizará exposições virtuais

maio 19, 2022 11:36 am Published by Leave your thoughts

Créditos: Xinhua/Jin Liangkuai

A Academia Chinesa de Ciências lançará uma exibição online de dois dias sobre seus experimentos avançados e instalações de pesquisa no 18º Dia de Ciência Pública, para oferecer ao público uma oportunidade de conhecer os mais recentes avanços científicos e tecnológicos da China.

De 21 a 22 de maio, mais de 100 instituições de pesquisa subordinadas à academia em todo o país fornecerão passeios virtuais e exposições sobre seus observatórios, jardins botânicos, estações de campo e laboratórios-chave para os amantes da ciência.

Essas exposições virtuais cobrirão uma ampla gama de temas, incluindo amostras lunares coletadas pela sonda Chang’e-5 e pelo Centro de Radiação Síncrotron de Xangai. Os espectadores terão experiências imersivas ao visitarem o laboratório pela internet.

Algumas instituições planejam realizar atividades de popularização da ciência online, como palestras sobre astronomia, geografia, exploração espacial, inteligência artificial, nova energia, ciências da vida e ecossistemas, divulgou a academia, nesta quinta-feira.

Sendo a mais alta instituição chinesa em ciências naturais, a academia organiza o Dia da Ciência Pública desde 2004. Este ano, a atividade se tornou online já que as viagens foram afetadas pelo ressurgimento da Covid-19.


Rede de clínicas odontológicas brasileira conquista mercado em Shenzen

maio 19, 2022 11:28 am Published by Leave your thoughts

Créditos: Arquivo Pessoal/Rodolfo Magalhães

Por Lucas Almeida

Rodolfo Magalhães teve o primeiro pensamento sobre um empreendimento na China ao ouvir o discurso de um CEO que tinha iniciado a mesma trajetória durante um congresso da Associação Brasileira de Franchising. Hoje, ele comemora os resultados da sua primeira clínica odontológica em Shenzen, cidade no sudeste do país asiático.

“Não é que estava fácil no Brasil, mas não tinha muita novidade. Já tinha inaugurado clínicas desde lugares em que só é possível chegar com um barco até grandes cidades. Já tinha vivido bastante coisa”, relembra Magalhães. Na época, ele já era CEO da Coife Odonto, rede odontológica que conta com cerca de 250 unidades pelo Brasil atualmente.

Em 2016, Magalhães viajou durante 30 dias, passando por Hong Kong, Taiwan e diversas províncias da parte continental da China, estudando a cultura e empreendimentos de cada região. O processo de pesquisa continuou pelos dois anos seguintes, com estadias de até três meses no país asiático, conhecendo feiras comerciais e se reunindo com outras empresas.

Desde o princípio o sonho do CEO era replicar o atendimento e os procedimentos das clínicas brasileiras no país. “Dos vinte contadores e advogados com quem conversei, só um disse que talvez fosse possível. Decidi seguir com o que acreditou na ideia”, ele relembra.

A partir de 2018, os sonhos começaram a ganhar um novo formato. A rede odontológica brasileira participou da Exposição Internacional de Importação da China (CIIE, na sigla em inglês) e virou
matéria na Televisão Central da China (CCTV), o que abriu espaço para pessoas de diferentes lugares do país se interessarem pela odontologia brasileira.

Créditos: Arquivo Pessoal/Rodolfo Magalhães

Diferenças culturais

Assim, surgiram duas possibilidades de parceria: um hospital, que desejava incluir profissionais brasileiros no seu quadro de equipe, e uma rede chinesa que propôs a abertura de uma joint venture com os brasileiros. Apesar dos contatos, as oportunidades acabaram não se consolidando pela diferença cultural ou por dificuldades de chegarem a um acordo vantajoso para as duas partes.

“A hora que começamos a participar de decisões conjuntas, vimos a grande lacuna entre as nossas gestões”, ele explica. Em 2019, as duas parcerias foram encerradas e Magalhães teve que escolher entre voltar para o Brasil ou investir em sua própria rede. “Esse momento foi um pouco perturbador.

Somos uma empresa familiar e eu toco junto com o meu pai. Meu feeling dizia que a gente poderia conseguir. Meu pai perguntou se eu tinha certeza e eu disse ‘tenho’, com muito frio na barriga”, brinca.

E foi assim que começou a empreitada para iniciar o negócio. Cerca de um mês depois, Magalhães encontrou o ponto ideal em Shenzen. “Dois dias antes de eu comprar uma passagem de volta para o
Brasil apareceu a oportunidade de abrir nesse local”, ele conta. “Estamos em uma região com uma população mais internacional. Mas hoje já recebemos clientes de toda a China.”

O CEO passou a virada do ano de 2020 montando as cadeiras da clínica, com o objetivo de abrir oficialmente no mês de janeiro. No entanto, os planos tiveram grandes mudanças com o início da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Magalhães decidiu permanecer na China e viu diversos outros empreendedores desistirem dos seus negócios antes mesmo de abrirem as portas. Além da frustração, ainda precisou lidar com as
preocupações da família, que estava no Brasil. “Para mim, se a gente fizesse a inauguração e ficasse aberto apenas por dois meses, já teria sido uma vitória”, ele relembra.

Com as medidas efetivas de contenção do vírus, a VIP Dental Clinics foi aberta oficialmente em março. Mas o CEO deixa bem claro que os problemas não acabaram. No primeiro mês, a maioria da população ainda estava com receio de sair de casa, resultando em um movimento fraco.

A situação passou a melhorar no segundo mês, mas o empreendedor ainda tinha outras pendências. Originalmente, o valor gasto durante o período em que a clínica ficou fechada seria usado para comprar um tomógrafo, equipamento requerido pela fiscalização local. “O país inteiro estava enfrentando problemas com encomendas, por causa da epidemia. Consegui alongar o prazo e, com o nosso próprio lucro, compramos a máquina em três meses”, ele explica.

Magalhães relembra que as inseguranças e instabilidades foram recorrentes nos primeiros meses. Um momento marcante foi quando o único dentista que atendia a clínica comunicou que voltaria para o
Brasil em uma semana. “Foi uma verdadeira intervenção divina: no mesmo dia, recebi o telefonema de uma dentista brasileira que já estava morando na China e o nosso projeto foi salvo mais uma vez.”

Apesar dos obstáculos, a VIP Clinics faturou R$ 3 milhões no seu primeiro ano. A partir de janeiro de 2021, o empresário começou a contratar mais dentistas que moravam na China, investiu na prospecção de novos clientes e conseguiu ampliar o seu faturamento.

“Aqui no bairro, há umas 50 clínicas odontológicas, mas somos a única que está sempre cheia”, comemora Magalhães. “Além de profissionais brasileiros serem reconhecidos mundialmente, temos um diferencial no atendimento, explicando cada procedimento para os pacientes, com uma equipe inteira que fala inglês.”

Tecnologia digital

E, se o jeito brasileiro tem conquistado o público internacional, a experiência chinesa também tem sido um grande aprendizado para o CEO e os seus franqueados nacionais. Magalhães conta que os pagamentos digitais foram um divisor de águas na forma de atendimento. A abertura para novas tecnologias no país asiático também trouxe resultados.

“Quando um equipamento é lançado na China, pode demorar anos até ser aprovado e importado no
Brasil. Aqui, você encontra modelos bons rapidamente e consegue oferecer um tratamento acessível
e de maior qualidade”, ele explica.

O CEO ainda chama atenção para os cuidados no descarte de efluentes, o uso de luzes ultravioleta e normas de organização das clínicas chinesas. “Muitas pessoas no Brasil pensam que é o contrário, mas aqui há padrões sanitários muito evoluídos.”

Com cerca de 2,8 mil clientes na clínica, Rodolfo Magalhães continua expandindo os sonhos. No ano que vem, ele pretende abrir uma segunda unidade da VIP Dental Clinics em Xangai e deseja aproveitar seu aprendizado na China para expandir a rede para a Europa, começando por Portugal, e para outros países da América Latina.

Este artigo foi publicado originalmente na 39° edição da Revista China Hoje. Inscreva-se no nosso Clube do Leitor, receba gratuitamente uma assinatura digital e tenha acesso ao conteúdo completo: http://www.chinahoje.net/clube-do-leitor/


Cientistas desenvolvem trajetória para voo sem colisões de enxames de drones

maio 18, 2022 1:25 pm Published by Leave your thoughts

Créditos: Reprodução/Xinhua

Cientistas chineses desenvolveram um novo sistema de planejamento de rotas de voo que pode ajudar os enxames de drones em miniatura, totalmente autônomos, a voarem de forma inteligente por florestas densas, sem colisões.

O sistema de planejamento permitiu que 10 robôs aéreos manobrassem coletivamente sem obstáculos através de uma floresta de bambu  e encontrassem uma rota de voo mais eficiente, de acordo com o estudo publicado na revista Science Robotics.

Inspirados em como bandos de pássaros podem coordenar com flexibilidade suas trajetórias de voo coletivo, os pesquisadores da Universidade de Zhejiang projetaram um método de planejamento de trajetória que processa dados de sensores a bordo e incorpora prevenção de colisões, eficiência de voo e coordenação de enxames para otimizar o voo coletivo em poucos milissegundos.

“Em nosso sistema, cada robô é equipado com uma câmera estéreo, sensor de atitude e computador embutido que usa dados de imagem e atitude para localização”, explicou o primeiro autor do artigo, Zhou Xin, da Universidade de Zhejiang.

“O módulo de planejamento de trajetória planejará imediatamente uma rota que não atingirá obstáculos nem outros robôs nos próximos segundos e o controlador então comanda as hélices para seguir esta trajetória segura”, acrescentou Zhou.

Segundo os pesquisadores, o novo sistema deve ajudar socorristas em operações de busca e resgate em florestas, pesquisadores de animais e plantas e até pessoas comuns que podem receber pacotes entregues por robôs aéreos em suas varandas nos próximos anos.


“Cão robô”de Sanxingdui é exibido pela primeira vez na China

maio 18, 2022 12:36 pm Published by Leave your thoughts

Créditos: Divulgação/Yibin Musuem

Em 18 de maio, a principal atividade do Dia Internacional dos Museus na região de Sichuan e Chongqing foi realizada no Museu da Cidade de Yibin, na província de Sichuan. O evento assinala a exibição pública das últimas peças de bronze desenterradas em Sanxingdui.

Uma relíquia em particular, uma besta mítica de bronze do terceiro fosso de Sanxingdui, também será exibida publicamente pela primeira vez.

A estátua de bronze possui 28,5 centímetros de comprimento, 26,4 centímetros de altura e 23 centímetros de largura. O objeto é a imagem de uma besta agachada no chão com a cabeça e o peito erguidos. Todavia, a relíquia encontra-se danificada, tendo perdido os membros superiores, orelhas e cauda.

No momento da sua revelação pela CCTV, muitos internautas fizeram piadas, afirmando que se tratava de uma versão antiga de um “cão robô”.


China rejeita projeto de lei dos EUA para ajudar Taiwan a recuperar status de observador da OMS

maio 18, 2022 12:29 pm Published by 1 Comment

Créditos: Reprodução/mfa.gov.cn

A China rejeita e acha deplorável que os Estados Unidos insistam em transformar o projeto que ajudará Taiwan a recuperar o status de observador na Organização Mundial da Saúde (OMS) em lei, disse Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, na segunda-feira.

O presidente estadunidense, Joe Biden, assinou um projeto de lei para orientar o secretário de Estado a desenvolver uma estratégia para recuperar o status de observador de Taiwan na OMS.

A questão de Taiwan é um assunto doméstico da China e o princípio de Uma Só China é uma norma básica que rege as relações internacionais, exaltou o porta-voz em uma coletiva de imprensa diária.

Ele explicou que, de acordo com as resoluções relativas da Assembleia Geral das Nações Unidas e da Assembleia Mundial da Saúde, a participação da região chinesa de Taiwan nas atividades da OMS deve ser tratada de acordo com o princípio de Uma Só China.

“Atribuindo grande importância ao bem-estar da saúde de nossos compatriotas de Taiwan, o governo central chinês fez arranjos adequados para a participação da região nos assuntos globais de saúde sob a condição de seguir o princípio de Uma Só China”, apontou ele.

“Instamos os EUA a aderirem ao princípio de Uma Só China e aos três comunicados conjuntos China-EUA, cumprirem o direito internacional e as normas básicas que regem as relações internacionais, tratarem de forma prudente e adequada as questões relacionadas a Taiwan e não usarem este projeto de lei para ajudar Taiwan a expandir seu chamado ‘espaço internacional’. Caso contrário, causará mais danos às relações China-EUA e à paz e estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”, explicou ele.


China promoverá mais empregos para candidatos graduados

maio 18, 2022 12:20 pm Published by 1 Comment

Créditos: Xinhua/Ren Chao

As autoridades chinesas se comprometeram em melhorar as possibilidades de emprego para os graduados universitários.

Os vice-primeiros-ministros da China, Sun Chunlan e Hu Chunhua, ambos membros do Birô Político do Comitê Central do Partido Comunista da China, fizeram as observações na segunda-feira em uma teleconferência.

Os participantes do evento exigiram que os prestadores de serviços públicos desempenhem um papel exemplar na promoção do emprego, apontando que mais treinamentos e estágios profissionais devem ser oferecidos aos formados.

Enquanto se comprometeram a apoiar o emprego flexível e o empreendedorismo, os participantes exigiram esforços para manter o funcionamento ordenado do mercado de trabalho e salvaguardar os direitos e interesses legítimos dos candidatos de emprego.

As autoridades incentivarão as empresas a expandirem o recrutamento, fornecendo subsídios para previdência social, empréstimos iniciais e cortes de impostos e taxas, e implementarão políticas favoráveis para os graduados que buscam empregos de base, de acordo com a reunião.

Também foi pedida assistência direcionada aos formados de famílias de baixa renda ou de áreas duramente atingidas pela epidemia da Covid-19.


Paralimpíadas de Pequim: como a China impulsionou políticas públicas de integração a partir do esporte

maio 17, 2022 11:00 am Published by Leave your thoughts

Créditos: Xinhua/Xia Yifang

Rafael Henrique Zerbetto*

No dia 4 de março, os Jogos Paralímpicos de Inverno 2022 foram declarados abertos pelo presidente Xi Jinping durante um espetáculo no Estádio Nacional de Pequim, mais conhecido como Ninho do Pássaro, na capital chinesa.

Nesse momento, Pequim se tornou a primeira cidade no mundo a sediar tanto os jogos paralímpicos de verão (em 2008) quanto os de inverno.

Gente de todos os cantos do planeta

Sempre quis assistir a uma cerimônia dessas, e achei que jamais teria a oportunidade devido ao alto preço dos ingressos e à rapidez com que se esgotam nas bilheterias.

Mas a pandemia da Covid-19 fez com que os ingressos para os jogos deste ano não fossem colocados à venda e sim distribuídos entre moradores completamente imunizados que cumprem os protocolos de prevenção, visando reduzir ao máximo os riscos de um surto durante os jogos.

E foi assim que pessoas de todos os cantos do planeta, a maioria delas oriundas de países subdesenvolvidos, foram convidadas pela Associação Chinesa de Amizade com Países Estrangeiros para assistir gratuitamente à cerimônia de abertura.

No estádio reencontrei alguns amigos africanos, todos estudantes universitários em Pequim, e uma jovem de Cabo Verde veio conversar comigo ao descobrir que eu era do Brasil: estava com saudades de conversar em português.

Jovens de países que jamais sediaram um evento desse porte estavam ali, encantados com a oportunidade que para eles parecia mais um sonho que uma realidade.

Integração pelo esporte

Em 2008, Pequim usou as Olimpíadas e Paralimpíadas de Verão não apenas para promover o país no exterior, mas também como parte de uma estratégia nacional de incentivo ao esporte que transformou a China em uma potência esportiva. Nessa estratégia foram incluídos também os esportes paralímpicos.

Agora é a vez dos esportes de inverno, cuja quantidade de praticantes no país aumentou em mais de 300 milhões de pessoas desde a escolha de Pequim para sediar os jogos deste ano. Além de incentivar uma vida saudável, o esporte gera empregos e traz um impacto bilionário na economia do país. Apenas os esportes de inverno deverão movimentar um bilhão de yuans (cerca de US$ 800 milhões) em 2025.

Um bom exemplo desse progresso são as estações de esqui nos arredores da cidade, que têm se expandido e multiplicado para dar conta do aumento da demanda. Normalmente instaladas em áreas rurais, elas geram empregos sazonais para uma população que tende a ficar ociosa no inverno.

Para os jogos de inverno de 2022, a China aproveitou grande parte da infraestrutura já existente e focou outras áreas, como a geração de energia limpa e técnicas ecológicas para produzir gelo e neve.

Como resultado, pela primeira vez na história, os jogos não contribuíram para a emissão de gases do
efeito estufa, e o parque de Shougang, construído em uma antiga área industrial, torna-se mais uma área
de lazer disponível para a população.

A menor chama paralímpica da história também resulta dessa preocupação ambiental e responde à crescente pressão por um modelo mais sustentável para os grandes eventos esportivos, evitando o desperdício e focando o essencial.

Com a chama no centro de um grande floco de neve constituído por diversos flocos menores, previamente usados na parada dos atletas para apresentar as delegações, a pira não apenas atenta para
a importância da reutilização de materiais, como também nos remete ao tema dos jogos, “Juntos por
um Futuro Compartilhado”.

A chama da paz só pode ser encaixada após a montagem do floco de neve, para o qual cada país contribuiu com um pedacinho. A paz resulta da união, da cooperação e da harmonia. É com esse ideal que a China propôs ao mundo a construção de uma Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade.

Ninguém deve ser deixado para trás

A China também soube aproveitar as paralimpíadas tanto para conscientizar o povo sobre a realidade das pessoas com deficiência quanto para estabelecer e desenvolver políticas voltadas para elas.

Por exemplo, no dia 3 de março, véspera da inauguração dos jogos, foi lançado o livro branco Esportes Paralímpicos: Progresso e Proteção dos Direitos, que reconhece o valor do esporte para a saúde física e psicológica, a participação social e o desenvolvimento integral das pessoas com deficiência.

O documento detalha o progresso dos esportes paralímpicos no país e os aponta como uma forma de impulsionar os intercâmbios e a amizade entre pessoas com deficiência de diferentes países.

Esse incentivo ao esporte paralímpico na China nos remete ao emblema dos jogos, inspirado no ideograma fei (voar), expressando a ideia de “voar alto”. Para voar alto, o país precisa investir no potencial de seu povo, incluindo as pessoas com deficiência.

Uma noite memorável

Intitulada “O despertar da vida”, a cerimônia de abertura dos jogos contou com apresentações de atletas e artistas com deficiência, incluindo um coral de surdos que cantou em língua de sinais o hino nacional da China, e uma orquestra de pessoas com deficiência que tocou o hino paralímpico.

“O fato de que esta foi a cerimônia de abertura mais espetacular e impressionante de todos os jogos paralímpicos de inverno será escrito várias vezes”, disse Yiannis Exarchos, executivo-chefe do Serviço
de Transmissão Olímpica.

O momento mais esperado foi surpreendente: pela primeira vez na história dos jogos, a pira paralímpica
foi acesa por um atleta cego, Li Duan, ganhador de quatro medalhas de ouro em Paralimpíadas.

Li Duan perdeu a visão em um acidente aos 18 anos, quando era jogador da seleção nacional juvenil de basquete, conseguiu dar a volta por cima e fez uma grande carreira como atleta paralímpico, coroada naquele momento.“Senti uma imensa emoção e orgulho. Como última pessoa a carregar a tocha, senti
que não estava apenas representando a mim mesmo, mas a todos os atletas paralímpicos”, afirmou Li.

Inclusão, uma tarefa de toda a sociedade

Do cuidadoso treinamento dos voluntários à magnífica cerimônia de abertura, a China mostrou que dá aos dois eventos o mesmo peso. As paralimpíadas recebem vasta cobertura da imprensa chinesa e o povo
acompanha os jogos, torcendo por seus paratletas.

“Acho que esses Jogos vão realmente elevar o nível em termos de como organizar as paralimpíadas.
Estamos muito satisfeitos com o que temos aqui”, declarou Craig Spence, diretor de marca e comunicação do Comitê Paralímpico Internacional (CPI). Indo do discurso à prática da inclusão social, a China desponta como uma potência paralímpica.

* Rafael Henrique Zerbetto é jornalista do site de notícias em esperanto El Popola Ĉinio e redator da versão em esperanto do Correio da Unesco.

Este artigo foi publicado originalmente na 39° edição da Revista China Hoje. Inscreva-se no nosso Clube do Leitor, receba gratuitamente uma assinatura digital e tenha acesso ao conteúdo completo: http://www.chinahoje.net/clube-do-leitor/


Helicóptero civil desenvolvido pela China faz voo inaugural

maio 17, 2022 9:45 am Published by Leave your thoughts

Créditos: Xinhua/Hu Chenhuan

O helicóptero civil AC313A de grande porte desenvolvido independentemente pela China realizou com sucesso seu voo inaugural, nesta terça-feira, anunciou a Aviation Industry Corporation of China (AVIC), a principal fabricante de aeronaves do país.

O helicóptero de 13 toneladas voou em um aeroporto em Jingdezhen, Província de Jiangxi, no leste da China, marcando um grande passo no desenvolvimento do sistema de resgate aéreo de emergência do país, destacou a AVIC.

É esperado que o AC313A receba a certificação durante o período do 14º Plano Quinquenal (2021-2025) e depois entre no mercado para atender clientes.