Associação chinesa de jornalistas denuncia decisão dos EUA sobre cortar número de repórteres chineses

Iniciativa norte-americana é descrita como “uma expulsão de fato de jornalistas chineses”

A Associação de Jornalistas de Toda a China (ACJA, na sigla em inglês) divulgou, na última sexta-feira, um comunicado condenando a exigência feita pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos da América de limitar o número de jornalistas chineses baseados nos país.

Descrevendo a iniciativa dos EUA como uma “expulsão de fato de jornalistas chineses”, a associação disse que as ações violam os direitos e interesses legítimos dos jornalistas chineses em realizar reportagens no exterior. Segundo a ACJA, a decisão também danifica a reputação da mídia e de jornalistas chineses, além de interferir no trabalho deles no exterior.

“Jornalistas chineses que trabalham nos EUA cumprem rigorosamente as leis e regulamentos do país e realizam reportagens sob o princípio de objetividade, justiça, veracidade e precisão, desempenhando um papel positivo no aprimoramento da comunicação e do entendimento entre os povos chinês e norte-americano”, afirma o comunicado.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.