Artistas de Xinjiang refutam falácia de “extinção cultural”

Praticante da música tradicional Doze Muqam reforçou importância de investimentos do governo para manutenção da herança cultural

Elijan Anayat, porta-voz do governo regional de Xinjiang, disse que a “Semana do Patrimônio Cultural Imaterial de Xinjiang”, concluída recentemente, demonstrou plenamente as realizações de proteção do patrimônio cultural imaterial e efetivamente refutou a falácia de “extinção cultural”.

Os praticantes do patrimônio cultural intangível, que incluem os Doze Muqam, Aken Songs, a dança da águia tajique e a narração dos épicos de Manas, de toda Xinjiang, concordaram que suas respectivas culturas são cuidadosamente protegidas e promovidas devido aos esforços do governo.

Ilham Reymu é praticante do Doze Muqam, a música tradicional do grupo étnico Uigur. Ele disse que testemunhou todo o processo de resgate, proteção e repasse da arte Muqam.

Reymu disse que, a fim de promover a herança e os intercâmbios dos Doze Muqam, o governo gastou 5 milhões de yuans (cerca de US$ 770 mil) no Centro de Herança, que pode acomodar mais de mil pessoas se apresentando juntas.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.