Arqueólogos encontram creme facial de quase 3 mil anos na China

Substância era usada pelos homens da elite da época

Arqueólogos chineses descobriram uma substância que devia ser usada como creme facial pelos aristocratas da época entre 770 e 476 a.C., durante o Período das Primaveras e Outonos. Os resíduos foram encontrados em um pote de bronze na tumba M49, no sítio arqueológico Liujiawa, na província de Shaanxi.

Os pesquisadores da Universidade da Academia Chinesa de Ciências acreditam que o material foi um dos primeiros produtos de beleza masculinos do país. Segundo os cientistas, o creme era usado para representar status e mostra a importância da indústria da beleza naquela época.

O cosmético é feito de gordura de ruminantes com “leite lunar”. De acordo com o chefe da equipe, Ying Yimin, “a substância é de cor branca e os dois juntos foram usados ​​por pessoas antigas para clarear sua pele.”

“De acordo com os objetos de sepultamento que foram descobertos na tumba, investigamos se o creme facial deveria pertencer à aristocracia masculina da época”, disse Ying. E completou: “Os dados que você observa usando seus olhos podem ser insuficientes; nós, portanto, usamos métodos tecnológicos para fazer mais explorações, como a análise de ingredientes e questões cronológicas. Esses recipientes de bronze foram descobertos em cerca de dez outros lugares na China. Juntos, eles simbolizam a natureza industrial dos cosméticos nos tempos antigos.”

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.