Arqueólogos chineses encontram sinais de atividade humana antiga na província de Guizhou

Foram encontrados fragmentos de cerâmica, pedra, ossos de animais e ferramentas de chifre que datam de 38 mil a 40 mil anos atrás

Universidade de Sichuan, uma das responsáveis pela escavação.

Arqueólogos chineses descobriram sinais de atividades humanas que datam de entre 38 mil a 40 mil anos atrás na Província de Guizhou, o sudoeste da China. Foram desenterrados em um local de escavação na vila de Yankong um grande número de fragmentos de cerâmica, pedras, ossos de animais e ferramentas de chifre usados por seres humanos antigos.

As descobertas sugerem que os humanos antigos que viviam na área pescavam, caçavam e coletavam frutas para viver, uma vez que nenhum sinal de plantio foi descoberto ainda. Segundo os arqueólogos, as duas tumbas descobertas no local são os sinais mais antigos que se tem notícia de enterro de mortos em Guizhou.

As escavações foram realizadas pelo instituto arqueológico e de relíquias culturais de Guizhou, da Universidade de Sichuan, e pelo instituto arqueológico e de relíquias culturais de Chengdu desde 2017. Os arqueólogos disseram que o sítio é a prova mais antiga de atividades humanas em Guizhou central e que é muito importante para estabelecer as sequências do desenvolvimento da cultura pré-histórica na área. Além disso, a escavação é importante para entender como humanos antigos em planaltos de altitude baixa sobreviviam e se adaptavam aos climas extremos.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.