Apesar de tensão comercial, exportações e importações da China crescem

O país busca fortalecer a sua economia e se prepara para enfrentar a guerra comercial contra os EUA

Os dados alfandegários da China em relação ao mês de julho foram divulgados e os resultados mostram que tanto as exportações quanto as importações do país tiveram um crescimento em relação ao mesmo período de 2017. No caso das importações, economistas acreditam que esses números sejam resultado do esforço do governo chinês para fortalecer a economia.

Com as evidências de que haverá uma desaceleração do crescimento econômico, graças às novas tarifas que estão entrando em vigor, Pequim está incentivando os governos locais e os bancos para que eles invistam em projetos de infraestrutura, como ferrovias, por exemplo.

O crescimento das importações do país em julho foi de 27,3%, em comparação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com cálculos feitos pelo Wall Street Journal com base nos dados da alfândega, as importações de carvão, petróleo e minério de ferro tiveram aumento de 73%, 63% e 20%, respectivamente.

Com a desvalorização do yuan em relação ao dólar, as exportações da China também foram beneficiadas, sendo que o seu crescimento no mês de julho de 2018, em relação com julho de 2017, foi de 12,2%. Mesmo com o governo Trump tendo colocado tarifas de 25% sobre US$ 34 bilhões em produtos chineses, ainda houve um aumento de 11% das exportações para os EUA.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.