Anatel aprova edital para leilão do 5G sem restrição da Huawei

Empresas vencedoras devem construir redes novas, sem usar a infraestrutura do 4G

Foto: Sinclair Maia/Anatel 2007

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou, na última semana, o edital do leilão do 5G. O documento não restringe a participação da chinesa Huawei, apesar da pressão dos Estados Unidos para impedir o acordo com a companhia. 

O documento exige que as empresas vencedoras do leilão construam redes novas, sem usar a infraestrutura do 4G como base. Além disso, uma portaria do Ministério das Comunicações determina que o governo federal tenha uma rede exclusiva.

A Anatel também definiu que a operação comercial da nova tecnologia comece 300 dias após a assinatura dos contratos nas principais capitais do Brasil. Depois, as cidades com mais de 500 mil habitantes. Esse processo será gradual e deve ser concluído em 2026, quando o serviço chegar aos municípios com menos de 30 mil habitantes.

O documento ainda deve passar pelo Tribunal de Contas da União antes de o governo marcar a data da licitação, que deve acontecer ainda este ano.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.