Achados arqueológicos no Tibet indicam atividades humanas pré-históricas

Pesquisadores desenterraram mais de 5 mil relíquias, incluindo ferramentas de pedras

A Administração Estatal de Patrimônio Cultural da China divulgou as últimas descobertas arqueológicas na Região Autônoma do Tibet, no sudoeste do país, lançando luz sobre as atividades humanas pré-históricas na região.

Em um local na sub-região de Ngari, arqueólogos desenterraram mais de 5 mil relíquias, incluindo uma grande quantidade de pedras, um pequeno número de ossos de animais e pedras queimadas, bem como fogeiras e fossos de cinza.

Dois tipos de ferramentas de pedra descobertas no local indicaram as atividades humanas durante dois períodos históricos. Escavações sistemáticas no local preencheram o vácuo da cultura arqueológica pré-histórica que data de 8 mil a 10 mil anos no interior do Planalto Qinghai-Tibet, disse a entidade.

Na cidade de Shigatse, foi descoberto um local de povoação pré-histórico que data de cerca de 4 mil anos. Foram encontrados vestígios de atividades humanas, incluindo tumbas, lareiras e fossas de cinzas, juntamente com pedaços de pedras e cerâmicas, artefatos ósseos e contas ornamentais.

A administração disse que o local é de grande importância para a cultura arqueológica pré-histórica no Tibet e a pesquisa sobre adaptação humana ao ambiente extremo do planalto com alta altitude, clima congelante e falta de oxigênio.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.