A febre de aprender chinês

Espetáculo na abertura da 13ª Conferência do Instituto Confúcio, em dezembro último, em Chengdu, capital da província de Sichuan, no oeste da China

“Aprendeu um pouco de chinês hoje?” virou um dos tópicos mais procurados no mundo inteiro. Com a rápida elevação do status internacional da China e seu contínuo esforço de se abrir ao mundo exterior, a língua chinesa, repleta de profundas conotações culturais, ganhou projeção global e se tornou um idioma importante para os intercâmbios culturais.

Desde 2004, a China vem abrindo Institutos Confúcio, instituições culturais sem fins lucrativos montadas no exterior, que têm por objetivo ensinar a língua e disseminar a cultura chinesa, inspirando-se nas experiências da Grã-Bretanha, França e Alemanha de promoção da fonética nacional.

Atualmente, 548 Institutos Confúcio em 154 países e regiões ao redor do globo promovem a língua como um meio e a cultura como uma ponte para melhorar a compreensão e a amizade entre os povos do planeta. Eles vêm dando uma contribuição positiva para difundir a língua chinesa, como um meio de acelerar sua introdução no mundo, aumentar a influência da cultura fonética chinesa e construir uma sociedade humana culturalmente mais inclusiva e harmoniosa.

Confira nos infográficos abaixo alguns dados sobre como isso vem acontecendo:

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.