5G da Huawei é usado pela primeira vez em Goiás

Rede é testada com equipamentos para o agronegócio

Foto: Agência Brasil

A tecnologia 5G da Huawei foi lançada nesta quinta-feira em caráter experimental para o agronegócio na cidade de Rio Verde, em Goiás. O teste é parte de uma pesquisa do Instituto Federal Goiano e do Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia), da Universidade Federal de Goiás.

A “prova de conceito”, ou seja, a aplicação prática de uma teoria, foi realizada em uma propriedade rural que serviu de “fazenda modelo”, no Centro de Excelência em Agricultura Exponencial. A rede foi ativada pela operadora Claro, que obteve licença de uso por um ano.

Com o sinal, espera-se acelerar a coleta dados em áreas de plantio e aplicar inteligência artificial na agricultura.

O professor Andreson Soares, do Ceia, explicou a rede 5G é usada para testar equipamentos estudados pelos pesquisadores, como drone e smart rover, um veículo autônomo que reconhece obstáculos e transmite imagens em tempo real da parte inferior da plantação.

Ele destacou que a prova só é possível com o 5G, pois permite acompanhar tudo em tempo real, sem atrasos no recebimento de informações.

O diretor de marketing da Huawei, Tiago Fontes, ressaltou que a rede permite a automação no campo. “Vários tratores têm tecnologia mais avançada do que carros. O que eles precisam é de conectividade.” E afirmou que já existem experiências do 5G em áreas rurais na China e na Suíça.

Adriano Lima, secretário-geral da Governadoria (SGG) de Goiás, estima que a inteligência artificial para aplicação de pesticidas possibilitará uma redução de 90% a 95% no gasto para controle de praga por hectare.

Comentários

Todos os campos abaixo são obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.